domingo, junho 27, 2010

Depoimentos sobre o Programa de Enriquecimento Curricular da FaBCI

No primeiro semestre de 2010, foram realizadas algumas palestras que compuseram o PEC.

Alguns participantes relataram suas impressões sobre as palestras.
Fui em apenas uma as palestras e acheio muito interessante, elas ajudam a complementar as aulas dadas em sala e ensinam muitas coisas novas que ampliam nossa visão do que é ser um profissional bibliotecário.
Mônica Ferreira Brandt, 5º semestre matutino
As oficinas foram bastante enriquecedoras, pois foi possível fundamentar e reforçar de forma mais clara os conceitos, dos temas abordados.Além de se criar um espaço para esclarecer dúvidas, que nem sempre são possíveis durante o semestre e trocas de experiência profissionais entre alunos e professores.
Sandra Maria Garcia, 5º semestre matutino
Boa apresentação de conceitos introdutórios sobre gestão de qualidade em bibliotecas. Pude compreender os níveis a serem alcançados por uma Empresa/Biblioteca, e perceber que a tomada de decisão para introdução da Gestão de Qualidade em qualquer área, deve sempre partir de cima - presidência, diretoria - já que requer custos elevados de investimento para obtenção dos resultados almejados.
Renato Galdino, 5º semestre matutino

A palestra que assisti sobre gestão de qualidade foi muitointeressante e agradável.
Wellington Garcia, 5º semestre matutino

Professora da FaBCI fala de sua participação em evento da UNESCO

Em qual evento participou? Quais dias? Pessoas de quais países participaram, quais os motivos da sua participação neste evento?


R: Participei do Congresso de Arte Educação promovido pela UNESCO, ministério da Cultura, Esporte e Turismo e com apoio do governo da Coréia do Sul. O nome oficial do evento é: The 2nd World Conference on Arts Education.

O período foi de 24 a 28 de maio de 2010, em Seoul, Coréia do Sul. Participaram mais de 80 países, de todos os continentes. Tínhamos ex-ministros da cultura de diferentes países, artistas de teatro, dança e música, professores de arte, arte terapeutas, ONGs, Fundações, etc. A representação brasileira estava em torno de 4 pessoas, duas de São Paulo (eu e Ana Mae Barbosa), mais uma representante do Ceará e outra do Rio de Janeiro. Decidi participar deste evento pois os objetivos dele era mapear e orientar o trabalho com arte, educação e cultura a partir das experiências e perspectivas de diferentes países do mundo todo.

Posso afirmar que ao final do Congresso verificamos a importância de trabalhar com a arte - educação para encarar os conflitos interculturais e com isso buscar algumas soluções pacíficas. Outro ponto que ressalto deste evento foi a relação direta que fizeram da arte com a economia, política e desenvolvimento de um país.

Participei de uma visita à um centro de recuperação de jovens infratores cujo programa de reabilitação e re-socialização é com a arte tradicional e popular da Coréia do Sul; experiências com fotografia, música, dança fazem parte deste programa, ele fez-me lembrar do projeto da FESP - Leiturativa.

Foi só na Coréia mesmo? Lembro que a senhora escreveu dizendo que iria ao Vietnã também, certo?

Depois deste evento fui visitar os templos budistas e hinduístas, considerados patrimônio cultural da humanidade, localizados no Vietnã e Camboja. Todos, em geral, são dos séculos VIII a XIII. Além de um estudo in loco da história contemporânea desses países, tive também boas informações sobre história da arte Antiga, da Ásia. Na realidade, quando estudamos Ásia, estudamos também outros países, pois todos estiveram e tiveram relações econômicas, políticas, artísticas e, culturais.

Destaco desta visita, a presença das bibliotecas em todos os complexos de reis ou templos. A biblioteca, em geral ficava perto de um teatro, dentro da moradia do rei ou do templo, perto também da sala de administração e de estudo. O conceito de biblioteca era o de espaço para meditação, não servia para guardar documentos. Haviam muitos registros em pedra, estruturados na arquitetura dos templos. Poucos entravam na biblioteca, somente o rei e sua família, os estudiosos, doutores, selecionados "a dedo" e os religiosos.

Quais as experiências/vivências a senhora obteve nesta viagem?

Conhecer países que são muito diferentes do nosso, da cultura e informação que chegam via mídia, é como revirarem você pelo avesso. Tentei falar e estar com bastante pessoas comuns, jovens, mulheres, idosos, funcionários do hotel, no mercado, na praça, no ônibus, nos templos. Vietnã e Camboja são países com pessoas muito curiosas, afetivas, risonhas, gostam de chegar e conversar, em qualquer situação. São bonitos, trabalhadores, possuem uma história rica em todos os sentidos e precisam ainda de muita ajuda internacional, pois saíram recentemente de muitas guerras. É quase zero a violência urbana e no campo. Gostaria que um dia vocês fossem até lá.

Sugestão: entrem na internet e busquem estes lugares: Hanói, Hue, Baia de Halong, Danang, HO CHI MINH (antiga Saigon) - CuChi - Siem Reap e Angkor Wat (este é imperdível); templos Prasat Kravan, Srah Srang, Banteay Kdei, Ester Mebon e Pre Rup.

domingo, junho 13, 2010

Docente da FaBCI inicia curso de Peritagem de obras de arte

A Professora Concília Teodósio iniciou um curso de especialização Latu Sensu de 680 horas em Preservação e análise de obras de arte.

Segundo a Professora Concília:
O curso capacita o participante a atuar no mercado de arte e salvaguarda de obras de arte, através da conservação preventiva. Proporcionando competência legal para realizar laudos técnicos de autenticidade e estado de conservação de obras de arte, muito requisitados por galerias, exposições, colecionadores. O curso é ofertado pela Escola de Educação Profissional Templo da Arte, que tem outros cursos ligados à preservação em papel, tela e patrimônio arquitetônico. Fica no bairro do Ipiranga. As aulas ocorrem aos finais de semana, acredito que pelo fato de receber candidatos de outros estados brasileiros, e o que também me favorece.

Este curso é oferecido com freqüência na Europa, principalmente em Portugal, como especialização.

Em uma troca de emails, a Professora me falou sobre as motivações que a fizeram iniciar este curso:

No curso científico que equivale ao ensino médio atual, tive um professor de desenho, Nicola Carone, que era artista plástico, que nos encantava falando de pintura, escultura, patrimônio cultural. Ele organizava exposições, exibia filmes e slides (o que era um luxo na época) e nos fazia produzir trabalhos muito interessantes de natureza morta, perspectiva, ilusões ópticas. Eu até fiz um quadro Pop Art.


Desde a infância convivi com artesãos de cerâmica, de tear, de vidro, ourivesaria, Filigrana, o que é muito comum na colônia italiana. Meu bisavô paterno era “fachagista”, construtor de fachadas. Comenta-se na família que ele foi fachagista de vários prédios da cidade de São Paulo, incluindo o Teatro Municipal. É o que meus tios contam.

Tive também o privilégio de conviver com o já falecido Percy Longo Filho, bibliotecário restaurador, muito erudito, que nos instruía sobre as peculiaridades de obras raras e artísticas do acervo da Biblioteca Mário de Andrade.

Enfim, sempre tive muito interesse em questões ligadas a artes plásticas, infelizmente, não consegui fazer a especialização nesta área assim que me formei o que era uma seqüência natural naquela época já que a FESPSP manteve até o final dos anos 80 o Instituto de Museologia. Apesar disso, nunca deixei de me informar a respeito do assunto, através da literatura da área e a partir dos anos 90 consegui na internet documentos preciosos em detrimento de muitas madrugadas não dormidas.

Trabalhos de Ação Cultural aplicados na FESPSP

Nesta semana, os alunos do 7º semestre (noturno), Aruana Marcondes, Letícia Miranda de Souza, Maisa Nobre Lima Pereira Viana, Osni Vieira Alves e Silvania Frondana da Silva iniciaram a exposição dos resultados obtidos no trabalho de ação cultural desenvolvido pelo blog ManifestoNosso!

Segundo texto de divulgação do blog, enviado pela aluna Aruana Marcondes:
Todo comentário postado, poesia, manifesto, dor ou alegria, será exposto em um mural localizado no interior da biblioteca... Pra vocês entederem melhor como isso funciona, entrem no blog e gritem, se exponham e façam um passeio virtual nas coisas legais e interessantes que diponibilizamos para todos.

Na exposição feita dentro da Biblioteca da FESPSP, o grupo disponibiliza algumas fotos e opiniões expressadas por diferentes pessoas que de alguma forma fazem ou fizeram parte da FESPSP.
O destaque destas ações fica por conta das fotos de alunos, professores, exalunos, moradores e frequentadores da Vila Buarque. Nestas fotos há uma frase em que o participante expressa alguma opinião sobre assuntos diversos.
Acessem o blog e confiram!

A aluna Janaina Ramos, está desenvolvendo seu projeto de ação cultural denominado "Inventaler". Qualquer pessoa pode participar enviando algum texto de autoria própria (conto, crônica, poesia, etc) para o email: janainakarina@gmail.com

Os textos serão divulgados no blog: Janaina Ramos - as vozes da minha alma