domingo, agosto 29, 2010

Por que me interessei pelo curso de biblioteconomia?

Continuando a série de postagens sobre os alunos da FaBCI/FESPSP, nesta semana divulgamos o texto escrito pela aluna do 6º semestre Marta Regina.

Por Marta Regina da Silva

Meu nome é Marta Regina, estou no 6º semestre de Biblioteconomia e Ciência da Informação e gostaria de compartilhar um pouco da minha história e de minhas expectativas com vocês.

Comecei a trabalhar na biblioteca por acaso, na Faculdade Interlagos, e lá convivi com excelentes profissionais. Inicialmente, fiquei perturbada com tantos códigos e números, era tudo novo para mim, foi quando uma bibliotecária em especial, sentou do meu lado e esmiuçou a CDU. Fiquei encantada com tanta informação, antes de trabalhar na biblioteca eu não tinha noção da importância do trabalho realizado neste ambientes informacionais.

Trabalhei nesta biblioteca por aproximadamente quatro anos, e lá tive a oportunidade de realizar várias atividades de catalogação, inventário, serviço de referência entre outras, mas o que me marcou muito é que os módulos da biblioteca e do financeiro não eram integrados, e a bibliotecária da instituição percebeu o meu interesse em sanar este problema e me autorizou a desenvolver um trabalho para fazer esta integração, e obtivemos êxito.

Depois de ter passado por várias atividades nesta instituição, fui para a Faculdade Radial, atual Uniradial, lá trabalhei um ano, onde fiz amigos e tive a oportunidade de aprender. Quando fiz minha matrícula na FESPSP, logo em seguida consegui uma oportunidade melhor no SENAC, onde trabalhei por quase três anos. Comecei no atendimento, e seis meses depois fui transferida para o processamento técnico, tive a oportunidade de realizar várias atividades, destaco a participação na elaboração de um projeto de periódicos e a monitoria em treinamentos institucionais.

Atualmente, passei dois meses desempregada e fiz algumas entrevistas. E, pude perceber que apesar de nós, futuros bibliotecários, termos consciência da importância do trabalho que fazemos, o mercado tem pouco conhecimento sobre a atividade que realizamos. Eles perguntam: Vocês mexem com tecnologia? Base de dados? Metadados? Portais? Ah! Eu pensei que vocês só ficavam na biblioteca.

Pessoal, nós temos muito a oferecer, mas temos que mostrar que o sabemos e o que fazemos. Eu acredito muito na biblioteconomia, independente do tempo, suporte e das atividades desenvolvidas, mas tenho consciência que temos que sempre estar dispostos a “aprender a aprender” sempre.

Nossa sociedade está em constante mutação, temos sim que absorver as teorias passadas, mas também temos que nos adaptar as mudanças e estar atento ao futuro de nossa profissão. E, se esta sociedade diz ser a sociedade da informação, então existem muitas atividades para nós realizarmos.

Nesta última semana, passei no processo de seleção para a Fundação Cásper Líbero, e sou a mais nova assistente de biblioteca. Foi bom ficar um tempo fora do mercado, e ver o que esperam de nós. Convido a todos, mesmo que estejam empregados, observem as demandas do mercado e as necessidades e idéias da biblioteconomia.

Um comentário:

  1. Marta, excelente depoimento. A profissão ganha muito com pessoas como você, engajadas e interessadas!

    ResponderExcluir