domingo, setembro 26, 2010

Por que me interessei pelo curso de biblioteconomia?


Por Héber Terra

Meu nome é Héber Terra, sou estudante do 8º semestre noturno do curso de Biblioteconomia. Sou fã de MPB, literatura, tecnologia e um bom vinho. Nas horas vagas, coisa rara na vida de estudante, me dedico ao estudo da música e ao violão clássico. Tive a oportunidade de conhecer a área de Biblioteconomia no ano de 2000 através de um amigo, até então estudante de Biblioteconomia pela FESPSP – Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.
No mesmo ano, comecei a trabalhar em uma biblioteca universitária no setor de referência permanecendo por um período de quatro anos. Foi um período muito interessante, pois quando se tem a oportunidade de trabalhar no setor de referência você aprende muito todos os dias, isso me fascinou. No ano de 2006 ingressei no curso. Atualmente sou responsável pela Midiateca do colégio particular I. L Peretz situado na zona sul de São Paulo.
O Centro de informação do colégio é chamado de Midiateca porque uma de suas características particulares é o fato de suas dependências e equipamentos serem utilizados diariamente para a ministração de aulas pelos professores da instituição, pois além dela dispor de suportes informacionais concernentes a um centro de informação tradicional, ela também dispõe de recursos e suportes tecnológicos que ajudam o professor trabalhar alguns conteúdos de uma forma mais interativa com os alunos dentro do espaço. Felizmente com o advento das novas tecnologias, o estereótipo do profissional que até então era conhecido somente como alguém que “arruma livros na estante” está caindo por terra e ganhando o reconhecimento de um profissional multidisciplinar que organiza e trata informações em qualquer suporte e ambiente, seja físico ou virtual.
Vivemos na era da informação e da tecnologia, na qual o bibliotecário do século XXl precisa ter as competências para trabalhar com as variedades de mídias interativas que permitem o acesso à informação. Ele precisa ser um profissional dinâmico e criativo, que tenha o conhecimento dos mecanismos virtuais de busca da informação e outros recursos digitais que possibilitam usar a tecnologia para criar novos serviços na biblioteca e gerar uma maior interatividade com os seus usuários.

Um comentário: