domingo, novembro 28, 2010

Por que me interessei pelo curso de biblioteconomia?

       


Por Tamara Cintra Leoni - 4. semestre noturno

Quando optei pelo curso de biblioteconomia, minha primeira motivação foi o fato do mercado de trabalho nesta área ser muito bom, se comparado a diversas outras áreas das ciências humanas. Assim sendo, optei pela FESP por saber que se tratava de uma instituição tradicional, séria e de prestígio.

Entrevista com Charlley Luz sobre o livro Arquivologia 2.0

    
Entrevista realizada pela aluna Alcione Pazetto

Alcione: Se apresente para os leitores do Blog, fale um pouco sobre você.

Charlley: Sou publicitário por profissão (já tive uma agência de publicidade no Rio Grande do Sul), sou bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Também sou pós-graduado em Gerência de Sistemas e Serviços de Informação pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), onde agora sou professor convidado da disciplina de descrição arquivística no curso de Gestão de Documentos. Na prática sou especialista em projetos de Ciência da Informação em ambientes digitais, iniciei minha vida profissional como atendimento, mídia e planejamento em agências de propaganda por mais de dez anos, onde participei de campanhas publicitárias para empresas e organizações sociais do Rio Grande do Sul. Na área de internet trabalhei na wwwriters (uma startup de Porto Alegre) com a elaboração de projetos, no desenvolvimento e coleta de conteúdo, além de gerenciar projetos web e estruturar arquitetura de informação e conteúdo para clientes como Sebrae/RS, prefeituras municipais e governo estadual do RS. Na área empresarial atuei em clientes como Companhia Zaffari de Supermercados, Calçados Hush Puppies, Metalúrgica Mor, entre outros. Em 2006 passei a exercer a função de Consultor Web junto ao Grupo Conectt em São Paulço, desenvolvendo arquitetura de informação e de interface, além de consultoria em empresas de grande porte. Como Consultor de Ciência da Informação e Comunicação da Plena Consultores trabalho em projetos que são referência em ambientes digitais, como portais de governança corporativa e intranets. Atualmente realizo também pesquisas na área de Ciência da Informação como web semântica, metadados e arquitetura de informação.

Aluna da FaBCI apresenta trabalho no 10º CONIC/SEMESP

  
A aluna Bárbara Cristina Araújo Uehara (8. sem. noturno) apresentou o trabalho "O Bibliotecário como Arquiteto de Informação" durante o 10. Congresso Nacional de Iniciação Científica do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo – SEMESP. Bárbara foi orientada pela Profa. Dra. Telma de Carvalho.

No texto a seguir, Bárbara nos conta como foi sua participação no evento:

domingo, novembro 21, 2010

Tutoria Voluntária na FESPSP - Impressões

    
Por Maria Rosa Crespo

A ideia era tentar dar um apoio para os alunos que, por qualquer motivo, pudessem se sentir desconfortáveis na FESP. Questões relacionadas com o relacionamento com outros alunos, com a Faculdade, com algum professor, dificuldade de acompanhar determinada disciplina, etc. Os programas de tutoria de alunos mais velhos, ou ex-alunos, são mais conhecidos fora do Brasil. Eu mesma, não tinha conhecimento de alguma Faculdade brasileira com essa iniciativa.

Por que me interessei pelo curso de biblioteconomia?

     

Eu trabalhei por quatro anos em uma empresa de gestão do conhecimento. Nessa empresa, eu conheci algumas bibliotecárias, essas profissionais eram dotadas de habilidades e realmente faziam as coisas acontecerem. Naquele momento, eu descobri que a biblioteconomia era o que eu deveria estudar. Optei por essa graduação e estou muito feliz.

Slides do II Encontro de Estudos e Pesquisas em Catalogação

    
Os slides abaixo foram disponibilizados no blog Grupo de Estudos e Pesquisa em Catalogação

História e conceitos do controle bibliográfico no Brasil e no mundo - compac

Lançamento do livro: Arquivologia 2.0 na Biblioteca da FESPSP

No último dia 18/11, ocorreu o evento de lançamento do livro "Arquivologia 2.0: a informação digital humana, excertos de um arquivista 2.0 no mundo digital" de Charlley Luz.

Alguns alunos, professores e ex-alunos da FaBCI/FESPSP prestigiaram o evento.

Algumas fotos divulgadas pelo twitter da ex-aluna Laura Pimentel (@lr2p) e do autor Charlley Luz (@charlley).

Público aguardando o início da palestra

O autor Charlley Luz e a ex-aluna Laura Pimentel

Confira os slides apresentados sobre o livro:

Mais informações sobre o autor acesse: http://arquivistadoispontozero.wordpress.com/

http://twitter.com/charlley ou http://twitter.com/arquivista2

segunda-feira, novembro 15, 2010

Por que me interessei pelo curso de biblioteconomia?

Por Cristiane Laudemar Rodrigues Assis


Cristiane (no meio) e suas filhas

Meu nome é Cristiane Laudemar Rodrigues Assis,sempre gostei de estudar e fui boa aluna, nunca repeti de ano. Tenho 37 anos. Era uma das poucas meninas que gostavam de ler da minha turma. Terminei o segundo grau e fui trabalhar em um escritório com 18 anos.Trabalhei nesse escritório na vila olímpia por 3 anos. Casei-me aos 23 e fui mãe aos 24, tenho 2 filhas. Parei de estudar, acabei me acomodando. Fiquei 12 anos casada. Há dois estou separada. Devido a dificuldades financeiras voltei a trabalhar a mais ou menos 5 anos como diarista, na Vila Madalena. Trabalho nesta casa 3 vezes por semana e em outras 2 para completar.

Gosto do que faço e me acho uma boa profissional da área. Mas sempre pensei em ir mas longe, pois tenho 2 filhas e familiares que dependem de mim, sendo assim resolvi fazer um cursinho e tentar entrar em alguma faculdade pública no ano passado. Estudava aos sabádos das 9 as 16 horas na EDUCAFRO um cursinho pré-vestibular comunitário gratuito próximo á minha casa. A noite em alguns sabádos fazia reforço de redação e matemática em uma igreja evangélica que ministrava o curso, foi otímo.Consegui tirar 7 na redação do ENEM o ano passado!

Meu patrão e minha patroa , a quem sou eternamente gradecida, sabendo disso e conhecendo a FESP, me propuseram tentar o curso de Biblioteconomia que ele considera uma profissão de futuro e parecida comigo, me deu o site da FESP eu entrei olhei o currículo e me apaixonei, chegando a ler Olhai os Liríos do Campo só para entender o trabalho temático!

A príncipio ele disse que se eu passasse ele me ajudaria a pagar a faculdade,foi o dia mais feliz da minha vida. Hoje ele paga minha faculdade integralmente sem descontar nem um tostão. Sou abençoada. Me lembro e choro! Sou a primeira pessoa da minha família a cursar uma faculdade... Tem horas que penso que é um sonho! Mudar a realidade de muitas pessoas é minha meta.

Por isso tento sempre ser uma aluna dedicada, fazendo o melhor que posso. Sou apaixonada por leitura; adoro pesquisa. E pretendo melhorar ainda mais. Minha família me dá todo suporte cuidando das minhas filhas para mim; elas tem orgulho da mãe. Quanto as minhas expectativas em relação a área ? São as melhores sempre que tem alguma palestra sobre Ciência da Informação procuro ir e me inteirar de onde posso trabalhar futuramente. Amo a Biblioteconomia! Tenho certeza que irá crescer muito.

Estamos agora com o projeto de implementação da biblioteca dentro da FESPpreto, para mim que ainda não estou estagiando será uma experiência maravilhosa.

Queria agradecer todos os que me dão força, minhas amigas inseparáveis Ludymilla, Luciana, Rafaella, Thaissa... que estão comigo nos momentos fáceis e díficeis... Marcelo, uma das pessoas mais conscientes que conheço e toda minha classe, que tem o maior respeito por mim, jamais me discriminaram e os amigos que estou conhecendo nesta faculdade, da qual me orgulho muito em fazer parte!

O Futuro não é mais como era antigamente - Paulo Vasconcellos

No dia 10/11/2010, o consultor Paulo Vasconcellos fez uma palestra aos alunos da FaBCI/FESPSP e convidados sobre Gestão e sobre atual mercado.

A palestra foi realizada na sala 33 e os alunos do 8º, 6º, 4º e 2º semestres assistiram, juntamente com a Profº Renate Landshoff.

Também foi convidado para participar o consultor Sérgio Storch, que atua na área de Gestão do Conhecimento em empresas.

Paulo falou sobre:

As equipes de profissionais da Tecnologia em projetos de Gestão em empresas;

A questão do T e do I;

A relação da área de TI com a empresa e seus setores;

A importância da internet aliada a solução de problemas. O uso de idéias bem sucedidas.

Enfim, a palestra foi muito interessante toda a sala ficou atenta as dicas e intervenções do Sérgio, após cada fala do Paulo.

Para você entender mais do que foi apresentado, acesse os slides apresentados neste dia: http://www.pfvasconcellos.eti.br/downloads/OFuturo.pdf

Mais informações e contatos com o Paulo Vasconcellos, acesse o seu site oficial: http://www.pfvasconcellos.eti.br/blog/

As fotos abaixo foram tiradas durante a palestra:




Paulo Vasconcellos, Renate Landshoff e Sérgio Storch (Da esq. para a direita)

Paulo Vasconcellos, Renate Landshoff e Sérgio Storch (Da esq. para a direita)

Visita a Biblioteca Parque Espanha - Impressões

Por Léscia Jatobá

No dia 21 de setembro de 2010, fui para a Colômbia a fim de participar de um congresso de jovens universitários da ONG (Movimento Estudantil e Profissional de Terapia Integral – MET-SP) internacional da qual paço parte. Este congresso aconteceu de 24 a 26 de setembro; fim de congresso – que se realizou um pouco afastado da cidade de Cali –, fomos conhecer a cidade de Medellín e passar os últimos dias da viagem explorando a cidade.

Nossa primeira visita – e a melhor de todas – foi no Parque Biblioteca España! Que biblioteca linda! A mesma fica localizada no alto de um morro no meio de uma enorme favela – mas não era uma favela como as que temos aqui no Brasil; é uma favela limpa, organizada, que mais parece um bairro de periferia. Para chegar lá, precisamos tomar o Metrô e logo depois fazer baldeação com o Metrocable (Medellín é a única cidade da Colômbia que possui metrô e, também tem algo em comum com nossos metrôs – são as bibliotecas no metrô!). É muito alto o caminho até lá, mas a vista é linda! Ao lado da biblioteca, funciona uma escola e, quando chegamos lá, a biblioteca estava cheia de visitantes e alunos uniformizados. Confesso que nunca vi algo igual nem nas melhores bibliotecas que temos aqui.

Na entrada, uma funcionária revista nossas bolsas por questão de segurança, mas podemos entrar com as mesmas. Há um hall com sofás para aquele que quer apenas sentar, fazer nada ou ler um livro, uma revista, etc. O andar térreo, é dedicado aos pequeninos, chama-se Ludoteca. Cada andar era dedicado inteiramente a determinada faixa etária; primeiro andar, para infanto-juvenil; outro para jovens; outro para adultos. As bibliotecas em si pareciam muito iguais, mas havia o diferencial de ninguém estar perdido para fazer pesquisas ou para encontrar a literatura ideal para seu lazer (disseram-nos que as pessoas ali liam muito nos momentos de lazer). Os banheiros são muito limpos e bem conservados, sem vandalismo, etc. Existe um enorme auditório, que fica no prédio ao lado da biblioteca, onde acontecem os eventos culturais.

Fiquei apaixonada pelo Parque Biblioteca España, por sua organização, limpeza, educação por parte de funcionários e seu público e, principalmente, pelo fato ver o local onde essa biblioteca está localizada – no meio de uma favela no alto de um morro –, e perceber que é possível sim manter uma instituição como essa – ou como o Metrocable – sem sofrer vandalismo por parte de seus moradores, ao contrário, desfrutam e muito de todos esses benefícios. Medellín é considerada a cidade do povo gentil e, eu pude comprovar que isso é verdade!

Placa da Biblioteca

Escola vizinha a Biblioteca

Dentro da Biblioteca

Auditório (lado de fora)

Sala de leitura e pesquisa

Biblioteca infanto juvenil

Biblioteca dos adultos

Estação Biblio Metro

Entrada da Biblioteca

Dentro da Biblioteca

Estação Metrocable vista do alto

Ludoteca

Metrocable

Léscia, alunas colombianas e a amiga da Léscia (Da esquerda para a direita)

Subindo o morro no Metrocable

domingo, novembro 07, 2010

A FaBCI conhecendo a FESPSP: Grupo Acadêmico Pedagógico - GAP

Por Ana Flávia Guimarães

Desde 2006, a FESPSP vem implementando ações em seus cursos por uma nova orientação Acadêmico-Pedagógica que tem como algumas de suas principais premissas a busca por inovações na docência, no desenvolvimento de pesquisas e projetos, além do incentivo a atividades de enriquecimento curricular, grupos de estudos e de iniciação científica.

A partir dessa orientação Acadêmico-Pedagógica, a Instituição criou, em janeiro de 2007, o seu Grupo Acadêmico-Pedagógico (GAP), coordenado pela Secretária Geral da FESPSP, Ana Flávia de Faria Guimarães, e composto por Aldo Fornazieri, Diretor Acadêmico e pelos professores Eliana Asche, Ivan Russef e Márcia Arouca.

A idéia da formação do grupo nasceu a partir do objetivo de concentrar e de sistematizar algumas ações que já estavam em andamento na instituição, como Projeto de Língua Portuguesa, iniciado no 1º semestre de 2006, que passou a revisar a produção textual dos alunos ingressantes nos cursos de graduação para então criar um processo de acompanhamento por meio do qual se pode aferir as freqüências de erros e a evolução nos textos dos alunos no que se refere a questões gramaticais, de organização de idéias, argumentação e afins.

Outro exemplo de projeto que se iniciou no 2º semestre de 2006 é o processo de seleção e acompanhamento dos professores contratados a partir do Banco de Currículos FESPSP; um trabalho que consiste em analisar e ajustar junto com os professores os seus programas de disciplinas de maneira a utilizar da melhor maneira possível o tempo em sala de aula, bem como as possibilidades de aproveitamento do corpo discente.

Tendo sido aferida a eficácia destes e de outros projetos que eram realizados de maneira independente entre si dentro da Instituição é que surgiu a proposta de criação do GAP. “A partir de um determinado momento, consideramos importante que estes projetos tivessem um núcleo de referência; foi então que se pensou na formação deste grupo, dedicado a estudar permanentemente questões relacionadas às atividades pedagógicas”, conta Ana Flávia Guimarães, coordenadora do GAP.

Atualmente o grupo concentra cinco diferentes atividades que se relacionam e convergem entre si para o cumprimento de seus objetivos de aperfeiçoar as práticas pedagógicas. As atividades são:

1 – Projeto de Língua Portuguesa: a ação dirige-se aos alunos da graduação ingressantes de cada ano, desde o processo seletivo até o final do 1º ano do curso;

2 – Seleção e acompanhamento de novos docentes: o processo tem como foco os novos professores contratados pela Instituição, estendendo-se aos professores indicados pelos coordenadores de curso.

3 – Acompanhamento pedagógico para o semestre: atividade que consiste em acompanhar e influenciar o processo de planejamento dos cursos a cada semestre, de maneira a torná-lo adequado ao Projeto Acadêmico-Pedagógico da Instituição.

4 – Análise dos programas de disciplinas: realização de análise e elaboração de relatório dos programas de disciplinas para o coordenador de curso, a cada semestre a fim aprimorar o processo com os docentes.

5 – Avaliação Institucional: as ações realizadas pelo GAP fornecem subsídios qualitativos para o processo de avaliação anual da instituição, realizado a partir de exigência do MEC. Nas visitas das Comissões, o trabalho foi apresentado e bastante valorizado.

Procuramos obter com o GAP uma convergência das ações, que devem estar voltadas para a sala de aula, e assim promover o enriquecimento curricular dos alunos.

Esperamos também estimular os professores para que eles mesmos busquem essa convergência e ultrapassem sua disciplina, façam sugestões, busquem atualização, participem de atividades fora da instituição; estimulem enfim um aprendizado mais dinâmico, que amplie os horizontes do aluno ao invés de especializá-lo prematuramente, pois hoje temos a consciência de que a graduação é apenas o primeiro nível do ensino superior.

terça-feira, novembro 02, 2010

A FaBCI conhecendo a FESPSP: FESPSPreto

No dia 20/11/2009, alunos da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo organizaram o evento "Valores Afro na Formação Política e Cultural do Brasil” em comemoração ao dia da Consciência Negra. Este evento contou com palestras, feijoada, roda de samba e muita discussão em torno da condição atual do negro no Brasil. Na época este coletivo de alunos era denominado "FESPSPreto".

No dia 13/05/2010, data em que se comemora a Abolição da escravatura no Brasil, este mesmo grupo de alunos com o apoio e participação de alguns docentes fundam a Associação FESPSPRETO.

Nesta data a fundação ocorreu na Livraria do Adão e contou com a adesão de 76 sócios fundadores, dentre eles os idealizadores e membros da comissão organizadora: Otávio Silva Pereira, Adão, Thais Pereira, André, Ariane, Tadeu Augusto Matheus (T-Kaçula), Claúdio Aparecido Bispo de Souza (Claudião), Carolina Medeiros, Carioca, Zacarias, Tales, Paulo César Nascimento (PC). O Claúdio e o Paulo César são alunos da FaBCI.

Segundo texto do Blog da FESPSPRETO:
Associação Fespspreto é uma entidade, na forma prevista pelo Código Civil Brasileiro, sem fins lucrativos, que reúne, sob a forma de associação, os membros da sociedade civil brasileira interessados em discutir, estudar e divulgar temas da identidade racial negra, bem como promover manifestações culturais, estudos e pesquisas relacionadas a esses temas.

Mais informações podem ser obtidas no Blog da FESPSPreto

ou pelos emails:
fespspreto@gmail.com
comunicacao.fespspreto@gmail.com
secretaria.fespspreto@gmail.com

Abaixo seguem dois vídeos com os depoimentos do Tadeu e do Otávio sobre a Semana da Consciência Negra de 2009, evento organizado pela FESPSPreto:



O bibliotecário na Europa: formação e mercado de trabalho - Impressões

No dia 29/10/2010, foi comemorado o Dia Nacional do Livro e a FESPSP realizou algumas atividades e promoções para comemorar esta data.

Neste dia foi realizada a palestra "O bibliotecário na Europa: formação e mercado de trabalho" pelo Prof. Dr. José Antonio Moreiro González do Departamento de Biblioteconomia e Documentação da Universidade Carlos III de Madri, Espanha.

Nos dois períodos em que a palestra foi realizada, 9:00hs e 20:00hs, a sala 33 ficou lotada. Alunos, docentes e ex-alunos vieram prestigiar o evento. O palestrante apresentou um panorama da estrutura do curso de Biblioteconomia na Espanha, com ênfase na Universidade Carlos III, as possibilidades que o aluno possui para direcionar sua formação acadêmica.

Sobre estas possibilidades foi ressaltado os novos papéis que o docente e o discente devem exercer, não mais de mestre transmissor e aprendiz passivo, mas sim de parceria. O professor facilitador e o aluno autodidata, independente.

Também foi ressaltado o atual momento econômico da Espanha e as dificuldades no mercado de trabalho para os profissionais recém-formados, as exigências das empresas e a preocupação da academia com estes problemas.

Os slides abaixo foram utilizados na palestra do dia 29/10/2010 na FESPSP:


Estes slides são de outra palestra que o Profº Moreiro realizou na ECA-USP:


Algumas fotos foram divulgadas pela Marli Vasconcellos (8º semestre matutino) no Facebook, tomei a liberdade de copiar algumas e divulgar neste post. As três últimas são da platéia do período noturno.






segunda-feira, novembro 01, 2010

Mais sobre o XVI SNBU

Nas últimas semanas foram divulgadas impressões e outros materiais das apresentações realizadas no XVI SNBU. Neste post divulgarei mais sobre este evento, complementando o post "Tudo sobre o SNBU".

O Blog Na era da informação, mantido pela bibliotecária Paula Carina de Araújo foram destacadas algumas palestras e impressões. Clique aqui e leia os posts sobre o XVI SNBU.

A Revista Informação e Universidade - RevIU divulgou os trabalhos apresentados no SNBU que receberam nota máxima da Comissão Científica, dentre os trabalhos está o artigo escrito pela Profª Maria Imaculada da Conceição (docente dos cursos de pós-graduação da FESPSP). Clique aqui e leia os artigos.

Muitos slides foram disponibilizados no slideshare, abaixo destacamos algumas apresentações. Em especial os slides utilizados pelos representantes da OCLC - Online Computer Library Center na América Latina e Brasil.