quarta-feira, março 28, 2012

Série “Por que me interessei pelo curso de Biblioteconomia?”



Antonieli Santos
O depoimento da série “Por que me interessei pelo curso de Biblioteconomia?” desta semana conta a história de Antonieli Santos, aluna do 3º semestre matutino. Leia um pouco mais sobre sua história e porque ela escolheu o curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação.


Meu nome é Antonieli Santos, trabalho como estagiária na Fundação Escola de Sociologia e Politica de São Paulo, e como voluntária no Centro de Estudos de Yoga Narayana. Desde pequena sempre fui fascinada por livros, e quando entrava numa biblioteca ficava intrigada com a numeração nas etiquetas, e queria trabalhar dentro de uma biblioteca porque acho um lugar incrível, riquissimo de conhecimento e cultura, e sempre fui curiosa com livros, lendo até as orelhas e tentanto entender o livro antes mesmo de lê-lo. Museus e Arquivos também fazem a minha cabeça, me sinto tão bem dentro de um museu, me imagino identificando obras, quadros... e separar e organizar papeis dá um trabalho quando acumula, mas quando está arrumado fica tão agradável o ambiente, já tive a oportunidade de trabalhar no Cedoc da FESPSP e adorei.

Na verdade eu nunca tinha ouvido falar da FESPSP, até comprar uma revista de profissões no final de 2010, foi onde eu descobri o curso de biblioteconomia e ciência da informação, onde tinha todos os requisitos que eu precisava para atuar numa biblioteca. Na revista, estava indicando a FaBCI, eu pesquisei e descobri que era a faculdade dentro da Instituição Fespsp, descobri também a faculdade Unifai, por questões financeiras eu até pensei em estudar na Unifai, mas antes resolvi visitar as duas e me decidir. A primeira faculdade que eu visitei para conhecer mais sobre o curso foi a FESPSP e nem dei chance para a outra. Já me inscrevi no vestibular da FESPSP e me matriculei.

Gosto muito do curso, vejo que a área de atuação é ampla e não foca só a biblioteca. E o que espera do futuro na sua area profissional Espero que a nossa área seja mais reconhecida. E que mais pessoas se interessem em ser bibliotecários, pois não estudamos só para guardar livro no acervo ou trabalhar com biblias, e sim para levar as informações para as pessoas gerarem conhecimento, para ampliar o conhecimento. Temos que focar nas crianças e nos jovens de hoje para crescerem cidadãos com cultura e passarem isso adiante.

Um comentário: