sexta-feira, setembro 28, 2012

Por que me interessei pelo curso de Biblioteconomia


Silvia Terra

O depoimento da série “Por que me interessei pelo curso de Biblioteconomia?” desta semana relata a história de Silvia Terra, aluna da  pós-graduação em Gerência de Sistemas e Serviços de Informação. Saiba um pouco mais sobre sua história e o porque ela escolheu o curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação.


Eu não escolhi a Biblioteconomia, foi ela quem me escolheu, se é que posso dizer isso! Eu fui convidada para participar da implantação de uma biblioteca comunitária na rua onde moro, no segundo andar de uma Igreja Presbiteriana.  Foi quando a minha vida começou a mudar, a princípio era para monitorar três adolescentes e acabei ficando com esse trabalho por 4 anos. A partir disso, fiz o curso Técnico e de lá vim fazer a graduação na FESP.
A FESP foi indicação de professores e colegas que já sabiam que o melhor curso de graduação era aqui. E que tinha tradição e toda a história do pioneirismo da faculdade e eu fui uma das pessoas que também ouviu que para ser um bom profissional teria que estudar aqui, tive várias dificuldades, mas consegui terminar. Foi uma conquista pessoal e muito importante para minha família, pois nunca imaginei que conseguiria fazer uma graduação.
Eu me senti como uma aventureira, pois foram mais de 20 anos sem estudar. Mas aos poucos, fui vencendo os obstáculos e superando as dificuldades. Mudei de horário várias vezes, mas consegui, com a ajuda do marido que segurava todas em casa, e de muita teimosia. Em vários momentos foi preciso ser teimosa, já que a melhor saída era parar. E toda vez que eu falava isso em casa o marido, dizia não! Você chegou até aqui sozinha, não vai parar.
As vezes é mais fácil parar ou trancar as matérias, mas sempre pensei em não demorar mais do quatro anos, e que seu demorasse mais tempo para terminar, mais tempo a família iria sentir e acabei conseguindo. Espero que meu relato sirva para estimular outras pessoas, a não desistir do curso, seja por perda de emprego, doenças, família, ou qualquer outra coisa que apareça, as dificuldades sempre nos deixam mais fortes.
Eu espero que a nossa classe conquiste o respeito que mereçemos, pois a informação, que é o nosso trabalho, está em todo o lugar e em todos os nichos de mercado, e quem melhor que nós para tratarmos dela?

2 comentários:

  1. Parabéns pelo depoimento e pela garra!

    ResponderExcluir
  2. Silvia, assim como a Valls, te parabenizo pelo depoimento, pela garra, força de vontade e empenho... não é fácil mesmo, ainda não tenho tanto tempo de mãe, mas senti na pele certas dificuldades relacionadas á ausência em casa, e ao fato de ter que estar comprometida no trabalho e nos estudos...tenho que me espelhar em você, na própria Valls, que tem 2 rapazinhos, para ir frente e me destacar seja lá onde for, se não for para os outros, que seja para eu! Um bj, você é 10! Parabéns pelo maridão, sem eles ficaria mais difícil, não é?

    ResponderExcluir