quinta-feira, setembro 06, 2012

Série "O livro da minha vida"

Nesta semana inauguraremos uma nova série de entrevistas no blog da Monitoria Científica FaBCI: "O livro da minha vida". Confira o primeiro relato!





Considero como livro da minha vida o Retrato de Dorian Gray. Li o prefácio deste livro em uma Biblioteca Pública e corri direto pra casa e me tranquei no quarto.

Mudei meu conceito de literatura, saí da leitura obrigatória e ultrarromântica de Azevedo, me deparei com algo que não sabia explicar mas que sentia, com a leitura dessa obra me senti tocado no espírito, por estranho que possa parecer minha fala, este livro foi capaz de liberar em mim medos e receios e alegrias cristalinas das quais jamais poderia ter liberado outrora por meio de outras leituras. Passei a procurar na literatura autores que haviam se articulado com Oscar Wilde. Descobri outro autor, na linha de sucessão, tão querido quanto Oscar Wilde pra mim, seu nome: Albert Camus, autor de O Estrangeiro, prêmio Nobel de literatura. Mas o mais curioso, é que estas obras foram descobertas por um certo acaso, sem propagandas, sem influência direta, foram, como posso dizer, encontros, à moda espinosista-deleuzeana. Fiz amigos, aprimorei meu teor literário, acurei minhas escolhas e passei a dar mais valor à literatura universal.


Éderson Ferreira Crispim
Seria dissonante comigo mesmo se dissesse que selecione meu apetite por gênero literário, se não escolho pelo autor, escolho pela força que determinado estilo confere no meu corpo, literatura pra mim é, atualmente, intensidade, literalidade, agramaticalidade, forças de viver, mas minha maior ambição é ler Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust. Não posso dizer muito sobre literatura sem nunca ter lido inteiramente essa saga.
 
Sem dúvida alguma Jorge Amado, obra Jubiabá. Inclusive nos foi pedido um trabalho temático e para minha alegria cristalina o meu é um dos três que ganharam o direito de publicação.

3 comentários:

  1. Adorei a sessão e o 1o depoimento é a famosa "chave de ouro" (só não gostei da careta, né Éderson kkk).

    ResponderExcluir
  2. Ederson e seus depoimentos cheios de detalhes.
    Obrigada novamente pela participação :D

    ResponderExcluir
  3. O Retrato... também é um livro especial para mim...
    'Sempre aquela esmagadora sensação de que a vida é bem maior do que aquilo que dela fazemos. A impressão, por outro lado, de que já temos tudo o que precisamos, mas não sabemos lidar com o que nos diz respeito. Queremos mais, mesmo sem saber o que.'
    Parabéns pelo comentário Éderson, deve ter sido difícil escolher um livro.

    ResponderExcluir