quinta-feira, fevereiro 28, 2013

O trabalho de indexação de imagens



  
O trabalho com indexação de imagens é uma das possibilidades de atuação do profissional da informação. Além de ter alto poder de síntese, como é necessário para a indexação em geral, é essencial ter um olhar treinado para uma leitura visual que permita a posterior recuperação da imagem. 
    É um trabalho agradável e produtivo num ambiente muito alegre. E o aprendizado está valendo a pena, já que eu nunca havia trabalhado com organização de informação em formato digital."

Para que um sistema de pesquisa, busca e recuperação de imagens fotográficas seja considerado eficiente, a sua política de indexação deve ser consistente. 
Para que isso aconteça, as imagens que retornaram da pesquisa devem conter todas as informações necessárias em uma só expressão, sem informações fragmentadas. Além disso, são importantes os quesitos precisão (a capacidade de se evitar a recuperação de itens inúteis), que deve ser alta e rapidez.



A aluna do 3º semestre noturno, Andrea Andira Leite, que trabalha com indexação de imagens na Editora Abril, conversou com a Monitoria sobre sua experiência na área:
Andrea em seu posto de trabalho na Editora Abril

"Eu trabalho no site Casa.com.br da Editora Abril. Há pouco mais de três meses, realizei uma entrevista lá, via anúncio pela FESP. Era uma proposta para estágio. Porém, após conversarmos, o contrato passou a ser de prestação de serviços, o famoso "freela". Acredito que o fato de trabalhar já há alguns anos com catalogação de documentos levou à esta mudança nos planos.
O site publica matérias das revistas Casa Claudia, Arquitetura & Construção, Minha Casa, Casa Claudia Luxo e Bons Fluidos, além de matérias próprias, e tem como temas principais arquitetura, decoração, design, arte, culinária e bem-estar.
    Em meio a editores, jornalistas, designers e programadores, minha função é descrever e catalogar as fotos do banco de imagens do site.
    O objetivo é facilitar a busca, tanto no Google como no próprio site Casa.com e possibilitar o acesso à alguma imagem específica, o que anteriormente era difícil, pois as imagens vinham vinculadas à matérias maiores, das quais faziam parte, e nem sempre isto é de interesse do usuário.
   O banco de dados foi planejado com tags (etiquetas, palavras-chave) relacionadas aos temas das matérias, além de ter campos para legendas e descrição destas imagens. Periodicamente realizamos testes num mecanismo interno de busca, para assim avaliarmos o desenvolvimento da catalogação.


Andrea Andira Leite, aluna do 3º semestre noturno da FaBCI-FESPSP.

3 comentários:

  1. Olá Andrea Andira Leite, Olá pessoal. Sou o Marcos Issa, aluno do 1º Semestre. O que me trouxe para FESPSP foi justamente a indexação de imagens. Primeiro porque sou fotógrafo, sócio de um banco de imagens, a Argosfoto (http://argosfoto.photoshelter.com/) que administra acervos de mais de 30 fotógrafos. Tenho um trabalho da área de organização de acervos digitais, dando aulas para fotógrafos e para profissionais de diversas áreas, entre elas de biblioteconomia. Espero esquentar este debate e trocar figurinhas com quem tiver interessado. Sei que o mercado está buscando profissionais nesta área e existe pouca gente preparada! Viva seu interesse!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Marcos! Muito interessante sua trajetória, esperamos ler em breve seus tópicos de debate nesta área de gestão de acervos fotográficos. Obrigada pela sua mensagem e continue acompanhando o blog da Monitoria!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Gostaria de pedir a permissão para utilizar esta notícia no blog da disciplina Leitura Documentária - FURG (leituradocumentariafurg.wordpress.com), com o objetivo de divulgar uma das possibilidades de trabalho na área para os alunos da disciplina.
    Claro, citando o blog Monitoria Científica FaBCI-FESPSP. :)

    Aguardo retorno!

    ResponderExcluir