sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Quero trabalhar com biblioteca virtual

Este é o desejo de Mônica Gonçalves Dias ao começar seu primeiro dia no curso noturno de Biblioteconomia da FESPSP, na última segunda, dia 04.



"Já trabalhei na biblioteca virtual da HSM Educação e quero voltar por que adoro biblioteca", afirma a aluna, que já fez o curso técnico no SENAC. Mônica já acumulou 2 anos e 5 meses entre biblioteca física, na antiga faculdade de tecnologia IBTA, e virtual, no grupo HSM. 

 Monica quer trabalhar com biblioteca virtual


Emerson Santos também tem o mesmo desejo de voltar a trabalhar em biblioteca. Hoje motorista do SESI em Osasco, ele assistirá as aulas à noite na FESPSP para retomar um trabalho que já desenvolveu na biblioteca do SENAI do Tatuapé. “Já estudei o técnico em edificações, mas não completei. Quero trabalhar de novo em biblioteca.”

Emerson pretende voltar à área de biblioteconomia

Seu colega Vitor Anthero também tem experiência na área de biblioteconomia, trabalhando com arquivos: “Comecei a trabalhar em um acervo técnico de engenharia no escritório Arcadis Logos há 2 anos, me identifiquei, e resolvi ingressar no curso na FESPSP”.

Vitor trabalha com acervo técnico 
Ao lado destes perfis, também confirma-se entre os novos alunos aqueles que tiveram a influência de amigos e familiares na escolha da carreira. É o caso de Isabela Moreira Martins, também da turma do noturno: “Sempre gostei de literatura e de ler, e, pesquisando sobre qual curso seguir na faculdade, descobri a biblioteconomia e a FESPSP”. A aluna comentou a descoberta do curso e da instituição com sua mãe e ouviu, com surpresa: “Foi onde eu estudei quando vim do Rio Grande do Sul para São Paulo”. Sua mãe tinha feito o curso técnico de biblioteconomia no sul e decidiu vir para São Paulo fazer a faculdade na FESPSP. Estudou na instituição quando ainda era no bairro da Pompéia.”E eu nem sabia disso, foi engraçado”, diverte-se Isabela.

  Isabela escolheu biblioteconomia e teve apoio de sua mãe

Os alunos que chegam ao curso procurando uma segunda graduação também confirmam outra tendência entre os calouros. Formada em letras e professora de português, Joana Silva vai cursar biblioteconomia de manhã. “Quero trabalhar com biblioteca escolar”, declara Joana, integrando o grupo de profissionais que podem valer-se da Lei 12.244/10, que determina a instalação de bibliotecas em todas as instituições de ensino público e privado no país até o ano de 2020.

E aqui vale um lembrete da campanha “Eu quero a minha biblioteca” pela efetividade desta lei e convidamos a Joana e todos os alunos, calouros ou não, a conhecerem e se mobilizarem para este fim  muito nobre da nossa futura profissão: acessem aqui e digam “Eu quero a minha biblioteca”.

 Texto e fotos: Magali Machado

3 comentários:

  1. Ótimo post, mas só uma dica: O título está com cara de "chamada" para a matéria, pois está focando somente no discurso de um aluno.

    ResponderExcluir
  2. E agora que fui ver: O post está duplicado!

    ResponderExcluir
  3. Sthéfani, obrigada pelo toque, continue participando!

    ResponderExcluir