quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Um filme, um concerto e um livro


Destaques para enriquecer suas horas de lazer: um filme, uma boa dica sobre onde assistir a um ótimo concerto e um excelente livro, dicas do aluno Antonio Eduardo Bei, do 3º semestre noturno da FaBCI.




A Caverna dos sonhos esquecidos

Documentário – 2010
Direção: Werner Herzog
            Belíssimo e comovente documentário, que mostra o interior de uma caverna na França, descoberta em 1994 por Chauvet, que dá o nome à caverna.
            O diretor nos revela com maestria os desenhos rupestres que se encontram por toda a caverna, alguns com mais de 30.000 anos de idade.
            A narração é do próprio Herzog, que descreve as imagens com um tom emocional compatível com o clima místico que envolve o filme. A música, de autoria de Ernst Reijeger, é excelente e complementa a beleza evocada pelo documentário.
            Vale destacar que a filmagem em 3D valoriza mais ainda as imagens do interior da caverna, fazendo com que o espectador se sinta dentro dela.



Mundo clássico 

            John Neschling está de volta a São Paulo. Desta vez no âmbito da prefeitura e sob os auspícios do PT. Ele é o novo Diretor Artístico do Teatro Municipal, e pelo que vimos na extensa entrevista que deu ao “Estadão”, seu projeto para o Teatro é ambicioso, sobretudo no que diz respeito à programação operística.
            Se o maestro conseguir, nos próximos anos, implantar seus projetos e suas ideias, a qualidade do Teatro Municipal, com seus corpos estáveis, atingirá um patamar de nível internacional, o que será muito bom para os amantes da música clássica. Competência para isso ele tem, como ficou comprovado em sua brilhante passagem pela OSESP.


  "Os sinos da agonia" de Autran Dourado


   A história se passa em Minas Gerais, século XVIII, em um contexto social carregado de limites e preconceitos, cujos valores eram determinados por nomes de famílias e aparências; tempos esses em que existiam "mestiços" e "bastardos", que eram estigmatizados e relegados à margem da sociedade.
   Quatro protagonistas dão forma à obra, enfocados particularmente pelo autor, com seus problemas e idiossincrasias, levando para o relacionamento que se estabelece entre eles as questões de cada um , num universo de egoísmo, amor e ódio.
   A personagem central do romance é a jovem Malvina, que se casa com um idoso magnata, sem estirpe, para salvar sua aristocrata família, porém falida; nesse jogo de interesses, Malvina se apaixona pelo filho do ricaço, que por sua vez traz consigo sentimentos de incertezas e culpa, que irão impedir seu relacionamento com a mulher do pai. A outra figura do "quarteto" é um jovem mestiço e bastardo, que se torna amante de Malvina e por suas mãos chegará ao crime.
    Esse é o tom trágico que Autran dá a seus personagens e à obra, redundando nos tristes dobres dos sinos da agonia.

2 comentários:

  1. Esse filme é ótimo. Assisti na minha aula de Historia da Arte....
    Otima dica :)

    ResponderExcluir
  2. Beatrix, além disso, é um filme muito bonito, que encanta, e nem precisaria ser em 3D para isso. Obrigada pela sua mensagem e continue acompanhando o blog da Monitoria!

    ResponderExcluir