sexta-feira, junho 07, 2013

Correr, nadar, malhar e ler um livro. Vai encarar?



Um jogging pela manhã, umas braçadas na piscina olímpica, uma malhação leve. Depois, uma paradinha para ler um livro. Esta é parte da rotina dos sócios de um dos mais exclusivos clubes de São Paulo, o centenário Clube Athletico Paulistano. Roselene Medeiros tem o privilégio de acompanhar esta rotina de seus usuários que frequentam uma das duas bibliotecas do clube.

 Conversando com sua gestora, Laís Helena Giancoli, formada pela FESPSP e responsável  pelas Bibliotecas Circulante “Ubirajara Martins” e Biblioteca Social “João Baptista Amarante Filho”, ambas no Club Athlético Paulistano (CAP), Rose nos conta um pouco sobre como é o dia-a-dia em uma unidade de informação dentro de um contexto de entretenimento e diversão seletivo. Acompanhe o seu relato:

Laís Helena
"Laís conta com uma equipe de 04 funcionários para um bom desempenho à frente do balcão de atendimento, que requer conhecimento, profissionalismo, boa vontade, paciência e gostar do que se faz. Juntas, desenvolvemos atividades e treinamento de novos funcionários, criteriosamente selecionados.

Participamos do atendimento sempre que possível e necessário, para melhor compreensão, suporte e interação com os usuários. Também fazemos o tratamento da informação, desde a análise técnica, indexação, resumo, preparação física e localização no acervo, além de todo o processo de desenvolvimento do acervo, que é pensado com foco no usuário e suas necessidades. 

Por se tratar de uma biblioteca de clube, o acervo é geral e o interesse do usuário é o lazer. Assim, a maioria deles busca “best-sellers” e lançamentos, entretanto, existe uma parcela de usuários que buscam outros assuntos como história de São Paulo (contamos com um pequeno acervo especializado chamado Paulistânia), esportes, biografias, viagens e etc.

Interesses diversos que procuramos satisfazer com as aquisições mensais de livros e DVDs sugeridos por eles e outros itens pesquisados dentro do perfil, acrescido de autores clássicos e de peso literário. Para coroar todo esse trabalho, buscamos constantemente melhorias para proporcionar um atendimento de qualidade. Nosso acervo é informatizado e disponível na intranet e Internet no site do clube, porém de acesso exclusivo ao associado, sendo possível efetuar reservas e sugestões por e-mail e devoluções através de caixas espalhadas em locais estratégicos.

Após resultado de pesquisa de satisfação encomendada ao Ibope e  realizada dentro do CAP, constatamos o alto grau de satisfação dos associados em relação aos serviços prestados em 2012. Os critérios avaliados pela pesquisa foram: qualidade e variedade dos serviços, infraestrutura, conforto, atendimento e impressão geral.

Nossos usuários estão satisfeitos com o atendimento da Biblioteca. Dentro da área cultural,  ficamos em 3º lugar entre os 5 mais votados. No item de áreas mais frequentadas, obtivemos um resultado muito positivo e nos classificamos em 6º lugar entre os dez mais votados. 

O “Paulistano” foi apontado como o melhor clube da cidade na edição 2012/2013 de “O melhor de São Paulo” da revista Época, da editora Globo, devido ao comprometimento incessante com a qualidade e excelência de seus serviços. Este padrão se estende à biblioteca, que passou inclusive por uma recente reforma para melhoria do espaço físico e aquisição de novos computadores para uso da internet e novo aparelho para rede WI-FI. 

Há anos na área e à frente do atendimento em várias bibliotecas municipais como “Anne Frank” no Itaim Bibi, “Viriato Corrêa” na Vila Mariana e “Centro Cultural São Paulo”,  Laís nos conta que foi convidada pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo para trabalhar na Biblioteca Anne Frank e adorou, e assim começou sua carreira. A escolha de um curso em Biblioteconomia foi fácil: “Optei pela FESPSP por oferecer um curso reconhecido na área”, afirma Laís. 

Das bibliotecas em que trabalhou, Laís recorda que os usuários eram bem diversificados, “entretanto, os menos abastados demonstravam um comprometimento impressionante com o cuidado e devolução das obras, exemplo dos irmãos gêmeos Cosme e Damião, que moravam a uma distância absurda e com chuva ou sol, literalmente, vinham devolver os itens retirados”, explica Laís. 

Na sua carreira, a gestão das Bibliotecas do CAP foi um divisor de águas: “Até então, só havia trabalhado em bibliotecas da rede municipal da prefeitura de São Paulo e em atividades de atendimento e processamento técnico. O público diferenciado ampliou minhas atividades e experiências”, relembra a bibliotecária. O público, alías, é o foco de seu trabalho. Quando perguntada sobre a importância do serviço de referência e o atendimento no decorrer de sua vida profissional, Laís é enfática: “Primordial, pois são esses serviços que direcionam o serviço de informação e garantem seu sucesso”. Para os alunos e seus futuros colegas de profissão, a bibliotecária do CAP recomenda, do alto de seus anos de experiência, que aproveitem os anos de curso e a qualidade que a FESPSP oferece."

Saiba mais:
"O Paulistano" Revista oficial do Club Athletico Paulistano 

Rose na biblioteca do CAP.

 
Roselene Medeiros é aluna do 3º semestre noturno.

2 comentários:

  1. Eu quero me Contrate!! rsrsr Adoro práticas esportivas!!!

    ResponderExcluir
  2. Esportes e leitura são os melhores hábitos mesmo, Denis! Deixe o seu curriculum "em forma" e fique atento às chamadas para seleção! E muito boa sorte!! Obrigada pela sua participação aqui no blog!

    ResponderExcluir