sexta-feira, setembro 13, 2013

Oficina “Ler, incluir e transformar”




 A capacitação para mediação de leitura para deficientes visuais ou bom baixa visão foi o tema da oficina da Fundação Dorina Nowill que aconteceu na FESPSP no final de agosto. A aluna Roselene dos Santos, do quarto semestre noturno, esteve por lá e nos conta os destaques do evento: 

Em 29 de agosto tivemos a Oficina de capacitação e rodas de leitura “Ler, incluir e transformar” no auditório da  FESPSP, em parceria com a Fundação Dorina Nowill para cegos. Este evento de estímulo à leitura acessível é um dos produtos oferecidos pela fundação, que também possui Centro de Memória, Biblioteca de livro falado, publicações, revista Veja falada, livros acessíveis em braille, digital “Daisy” e falado, além de mais cursos e palestras. 

Direcionado para pessoas com deficiência visual e para mais de 1.400 escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil, também oferece, gratuitamente, programas de serviços especializados à pessoa com deficiência visual e sua família, nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. 

Por se tratar de uma organização sem fins lucrativos e de caráter filantrópico, contam com doadores, voluntários, amigos e patrocinadores que fazem da instituição uma referência no trabalho de inclusão social das pessoas cegas e com baixa visão.

As oficinas fazem parte do projeto “Ler, Incluir e Transformar!”, com o apoio do Ministério da Cultura. Além de produzir e distribuir livros acessíveis, este projeto desperta a consciência das pessoas para a causa da deficiência visual.

Todos que tiveram o privilégio de participar certamente concordarão que foi uma experiência maravilhosa que proporcionou esclarecimento sobre mitos existentes em nossa sociedade em relação ao deficiente visual e não “portador de deficiência visual” já que “não dá para por a deficiência no bolso”, como nos orientou a palestrante Ana Paula Silva.

Mari, Roselene e Ana Paula
Foi uma conversa descontraída e estimulante, com interação constante do público. Contamos com a presença de Regina Salvato, representante da LARAMARA (Associação Brasileira de assistência à pessoas com deficiência visual), convidados com deficiência visual, professores da rede pública, alunos e professores da FESPSP, bibliotecários de instituições públicas e privada, entre outros.
Ana Paula e Mari iniciaram a apresentação com uma descrição do ambiente, apresentação da fundação e da oficina, trouxeram as principais causas da deficiência visual e baixa visão e mediaram um debate sobre os mitos existentes e muito comuns, entre eles podemos destacar:  

“Neste momento não preciso de livros acessíveis,  porque não tenho pessoas com deficiência visual que frequentam a escola/biblioteca.”

“A pessoa com baixa visão não é deficiente visual.”

“A Fundação Dorina Nowill é o único lugar no Brasil onde a pessoa com deficiência visual pode pegar emprestado livros acessíveis.”

Lembramos que essas afirmações são mitos e muitos outros existem em nossa sociedade. Uma observação que achei bem interessante é que não devemos brincar, acariciar ou dar alimentos ao cão guia, pois existe um vinculo de autoridade com o deficiente visual e qualquer interação externa  atrapalha o relacionamento com o dono. Só é permitida com autorização do mesmo ou nos momentos de lazer, quando o cachorro não está com a guia. Outra é que não é necessário falar alto ou de forma infantilizada e no caso de recusa ao auxílio oferecido, não devemos julgar e rotular, pois em outro momento essa ou outra pessoa pode “realmente” precisar.

Roda de leitura
Para desenvolvermos a roda de leitura formamos 2 grupos:  a atividade consistia em escolhermos um livros cada, em tinta/braile, definirmos quais trechos mencionar e figuras descrever, escolhermos os integrantes do grupo mais adequados, contar a história e descrever as imagens de forma que representassem o conteúdo existente no original integral. Recebemos alguns convidados com deficiência visual e os grupos se apresentaram e interagiram com eles dentro dos conteúdos propostos, como por exemplo o tema futebol, muito polêmico por sinal, devido à preferência dos participantes por diversos times. Os convidados fizeram comentários e perguntas, deram palpites sobre jogadores, puderam manusear as obras, foi uma troca rica e prazerosa.



Para mais informações, escreva para leiturainclusiva@fundacaodorina.org.br ou ligue para (48) 8411-2509 / 3226-7005, com Marcia.


http://laramara.org.br/ acesso em 09/09/13.



Roselene Mariane Medeiros Santos é aluna do 4º semestre noturno.





 

Nenhum comentário:

Postar um comentário