quinta-feira, outubro 31, 2013

Práticas da gestão da informação para negócios

Joanita Lopes e Denise So
Práticas de gestão da informação para alavancar negócios são ações que o bibliotecário pode desenvolver dentro de qualquer empresa. Na segunda edição da série Encontro Setoriais na FESPSP que aconteceu na última sexta feira, 25 de outubro, o foco foi a informação para negócios.

Joanita Lopes, bibliotecária do IBOPE, e Denise Rodrigues So, bibliotecária da VIVO em Inteligência Competitiva, trouxeram questões relacionadas à competitividade entre as empresas e que são gerenciadas pelo bibliotecário dentro de uma equipe multidisciplinar.

Joanita Lopes é formada em Biblioteconomia e Documentação pela FESPSP, com curso de pós-graduação Lato Sensu em Planejamento e Gerenciamento de Sistemas Automatizados de Informação e também é  especialista em Gestão do Conhecimento. Começou sua carreira em uma biblioteca especializada na área da saúde, no Instituto do Coração, na cidade de São Paulo, e posteriormente trabalhou em um CEDOC da indústria farmacêutica, seguida da BIREME e, enfim, iniciou sua carreira no IBOPE.

Na empresa onde está há quase dez anos, auxiliou na implantação do Centro de Informação e
Joanita Lopes
Documentação do IBOPE (CIDI), pensado para fazer a gestão da informação e dar apoio informacional para as áreas de negócios e seus respectivos projetos. Aline  Cristini Cambur, do sexto semestre matutino, destacou a característica do intangível no CIDI: ”Ela mencionou a quase ausência de algo físico, a informação é completamente automatizada” disse a aluna. Isso se coloca em um contexto em que todas as empresas tendem a diminuir seus espaços, tornado-se, por si, um ganho de competitividade interna.

Alunas de Biblioteconomia
Josy Garcia, do segundo semestre noturno, achou muito interessante a discussão sobre o registro da função de Denise com um nome diferente de “bibliotecário” e isso levantou a pergunta: ”e por que não um bibliotecário para fazer isso”? A aluna aponta que isso gera uma onda desfavorável à própria profissão: “Defendo o registro de bibliotecário como forma de divulgação da nossa profissão.”

Em sua fala, Denise Rodrigues So enfatizou a importância de se ir além da unidade de informação, explorando outras fontes de informação que não as já tradicionais. Afirmou que procurar desafios é também saber vender o que você sabe fazer para a empresa, dentro da cultura organizacional, naturalmente. “É mostrar que, com as competências que você tem, com o ferramental técnico da sua formação, você pode fazer o trabalho, e trazer isso para a unidade de informação, para que ele seja realizado por um profissional bibliotecário. As pessoas desconhecem a nossa formação. As pessoas não sabem sequer que o bibliotecário pode trabalhar em uma unidade de informação de uma empresa”, afirmou Denise.


Denise So

A bibliotecária formada e Mestre em Ciência da Informação pela ECA/ USP expôs que corre-se riscos diariamente em uma empresa, portanto, o bibliotecário deve estar atento para identificar oportunidades e fazer parcerias com o cliente interno, o externo e também com fornecedores pois essas alianças viabilizam o trabalho hoje e do futuro também. 


Fotos: Agência FESPSP

Nenhum comentário:

Postar um comentário