quinta-feira, outubro 17, 2013

Professores da FaBCI apresentam suas pesquisas


Andreia Gonçalves (acima), Adriana Souza e Francisco Lopes

Professores da FaBCI Adriana Souza, Francisco Lopes e Andreia Gonçalves Silva apresentaram suas pesquisas no segundo dia do Seminário integrado FESPSP 80 anos.
No dia dos Professores, um encontro especial de mestres na parte da manhã: professores de Biblioteconomia reunidos para falarem de suas pesquisas acadêmicas para a comunidade FaBCI.








Adriana  Souza
Adriana Souza, recém-mestra pela ECA-USP, explicou como desenvolveu seu tema coaching, inédito em Biblioteconomia. A professora Adriana foi à origem do termo, na Hungria medieval, para resgatar seu significado como um meio de transporte para a realeza, e que através dos séculos seguintes foi ganhando diferentes conotações conforme a área de conhecimento empregado. Hoje, tem um caráter transversal e multidimensional, como a própria  Ciência da Informação, e isso a instigou a explorá-lo. “Hoje se pede mobilidade, aprender a apreender”, afirmou a professora, e o coaching vem como uma grande contribuição neste processo.

Francisco Lopes
Galgando mais um degrau em sua carreira acadêmica, Francisco Lopes apresentou as linhas gerais de sua incipiente pesquisa de doutorado “Organização e Representação do Conhecimento: perspectivas de interlocução interdisciplinar entre Ciência da Informação e Arquivologia, também pela ECA-USP, na qual investiga as possíveis relações entre a Ciência da Informação e a Arquivologia. Bibliotecário de formação com larga experiência profissional em arquivos, o professor trouxe à mesa alguns pontos da já conhecida discussão sobre a co-existência da Biblioteconomia e Arquivologia sob o grande guarda-chuva conceitual da Ciência da Informação. Mesmo com princípios diferentes, os pontos em comum entre as duas áreas incluem múltiplas práxis que têm trazido uma re-significação para ambas. Entre seus resultados preliminares, apontou  “a interlocução interdisciplinar a partir dos referenciais da Organização e Representação do Conhecimento (ORC) apresenta-se promissora ao apoiar-se nas contribuições advindas da filosofia, da Teoria da Classificação, da Teoria do Conceito e de estudos linguísticos, que são elementos indispensáveis para se pensar os processos de identificação, classificação e descrição da informação arquivística”, explicou o professor.


Andreia Gonçalves
Contemplada no Programa de Incentivo a Pesquisa Docente (PIPED-FESPSP) deste ano, Andreia Gonçalves Silva, mestra pela ECA-USP, busca contribuir para o melhor entendimento da legislação previdênciária brasileira para ampliar o direito que o cidadão têm às informações legais. “As pessoas desconhecem seus direitos básicos”, apontou. A professora esclareceu que o acesso às informações legais já está consolidado, mas a linguagem jurídica se constitui uma barreira para o pleno exercício da cidadania. “O objetivo de disseminar a informação jurídica já foi concluído, é preciso facilitar o acesso à compreensão de seu conteúdo”, afirmou. Além disso, no que diz respeito à Lei de Acesso à Informação, a professora verificou que sites de vários Ministérios ainda pecam por uma arquitetura da informação disfuncional, faltando com um direcionamento eficaz da enorme variedade de informações que disponibilizam.

Interessante notar nas três apresentações as diferentes fases de pesquisa de cada um dos professores: enquanto a professora Adriana acaba de finalizar um desenvolvimento de pesquisa, seus colegas estão com suas investigações em andamento, em diferentes fases e contextos. Essa diversidade evidenciou questões e caminhos inerentes da pesquisa stricto sensu, trazendo, especialmente para os alunos que estão preparando seus TCCs, um panorama da realidade de trabalho de pesquisadores acadêmicos por excelência. 

Para receber o audio completo das apresentações, envie um email para monitorcientificofabci@fespsp.org.br.




Nenhum comentário:

Postar um comentário