sábado, fevereiro 15, 2014

Coluna mensal Carreiras: Biblioteca Escolar.

Inauguramos hoje nossa coluna mensal Carreiras onde iremos postar a respeito de uma unidade de informação diferente com o objetivo de esclarecer para alunos de biblioteconomia, bibliotecários e cientistas da informação os diferentes locais onde podemos exercer nosso trabalho.
A biblioteca escolar é um dos centros de informação mais conhecidos em nossa área e para a comunidade em geral. Já conhecida em muitas escolas particulares, ela se torna obrigatória após a sanção da lei 12.244/10 em 2010 que estipula que todas as instituições de ensino públicas e privadas devem possuir uma biblioteca até 2020, trabalho difícil já que 72,5% das escolas públicas do país NÃO possuem bibliotecas. Na verdade, dados apontam que teriam que ser construídas 53 bibliotecas por dia para que essa lei fosse cumprida (fonte: Planetasustentável).
Pensando nisso o Instituto Ecofuturo lançou a campanha Eu quero minha Biblioteca em que informa as prefeituras a respeito dos recursos disponíveis para a criação e manutenção de bibliotecas escolares.
Lembrando sempre que Biblioteca é diferente de Sala de leitura, alternativa de muitos diretores escolares para suprir a necessidade de se contratar um bibliotecário registrado, já que, ao se denominar o espaço de sala de leitura se renega a necessidade de um profissional graduado e habilitado para tal serviço.
Mesmo sendo uma unidade de informação com suas divergências, problemas e polêmicas ela é também uma das mais ricas, importantes e primordiais fontes de informação, principalmente para jovens estudantes que cada vez mais se distanciam da leitura tradicional (com suporte em livro).
Como então chamar atenção das novas gerações para a leitura?
Como discutido no post Bancas de Jornais,existe futuro?  os jovens de hoje em dia se interessam por materiais diferentes, literaturas diferentes e como bibliotecários é nosso trabalho nos adaptarmos aos seus gostos e buscarmos o que eles desejam. Lembrando sempre que nós trabalhamos para o nosso usuário, sempre pensando em suas necessidades e desejos.
Levando em conta tudo isso não é difícil, ao entrar em uma biblioteca escolar, você encontrar, além dos títulos clássico da literatura brasileira e portuguesa, nomes desconhecidos de romances infanto-juvenis, contos fantásticos, histórias em quadrinhos e mangás.
A biblioteca escolar de hoje não pode, assim como nenhuma outra, parar de evoluir e mudar. Não estamos falando sobre esquecer tudo que já aprendemos antes nas aulas do curso de Biblioteconomia, e sim aproveitar nosso conhecimento e modelá-lo ao novo tempo em que vivemos e aos nossos novos usuários com suas mentes voltadas para um mundo diferente do qual fomos criados.
A aluna Sylvia Tristão, aluna do 3º semestre de Biblioteconomia, trabalha há cinco anos na biblioteca do Colégio Miguel de Cervantes e nos fala um pouco a respeito de sua experiência trabalhando em biblioteca escolar.

MC: Como é trabalhar em uma biblioteca escolar?
ST: Eu sou suspeita para responder essa pergunta, adoro trabalhar com crianças, jovens, o ambiente escolar é, para mim, um aprendizado! Além de nos trazer vida.

MC: Quais são as principais atividades de um bibliotecário em uma biblioteca escolar?
ST: As atividades que eu exerço na biblioteca escolar do Cervantes são: arquivo em geral, tanto de livros, periódicos, DVDs, CDS, etc; toda a elaboração de cartazes, mural informativo; atendimento ao público em geral, no meu caso, alunos de 04 á 17 anos, professores, pais/mães de alunos, alunos do curso de línguas, e a comunidade próxima. Atendimento telefônico, por e-mail, cadastro de alunos, funcionários e pais; atendimento à editoras, autores de livros, solicitação de material e todo auxilio à bibliotecária responsável.


Em seu site o Colégio Miguel de Cervantes define a biblioteca como “[...] porta de acesso ao conhecimento, à cultura e à informação”. A aluna Sylvia leva isso em mente em todos os dias de trabalho, sempre se dedicando ao máximo para atender seu publico e incentivar o seu usuário a ler mais.


MC: Você acha que os jovens de hoje se interessam por bibliotecas? Pela leitura em geral?
ST: Olha o jovem hoje em dia está muito ligado à tecnologia, e lá na escola, como os alunos têm leitura obrigatória, não gostam muito de ler não, são poucos os que se interessam, mas eu adoro conversar com eles, indicar livros, conto um pouco dos livros e eles acabam se interessando. Acredito que é primordial levantar da sua mesa, entrar no acervo, que lá possuímos um acervo de 60.000 exemplares, e como leio livros desde infantil, adulto, todo tipo de leitura, passo um pouco dos livros pra eles, e só o fato desse contato, já faz toda a diferença e consigo maravilhas...

MC: Qual é o material mais requisitado na biblioteca fora o didático? 
ST: Os adolescentes solicitam muito romances, principalmente as meninas. Apesar de toda evolução são cada vez mais apaixonadas, e amam historias de amor. Alguns poucos gatos pingados pedem a leitura obrigatória para o vestibular, como Senhora, Memórias de um sargento de milícias, etc.
Ficou interessado? Confira abaixo a cartilha do Eu quero minha biblioteca, e fique por dentro da luta por bibliotecas em todas as instituições de ensino do país.



Colaboração na Matéria: Sylvia Tristão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário