domingo, abril 20, 2014

Livros digitais no Brasil.

O Observatório do Livro e da Leitura divulgou na semana passada dados referentes a pesquisas realizadas em bibliotecas, através de entrevistas com bibliotecários e usuários, a respeito do livro digital e seu impacto nas bibliotecas e sociedade brasileira.



O Observatório do Livro e da Leitura é um programa de caráter permanente que faz estudos e pesquisas e difunde informações e conhecimentos sobre a questão do livro e da leitura no país, e integra a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) para a Educação, a Ciência e a Cultura.
Sua atuação compreende três áreas principais:
·         Diretoria de Conteúdo - Gera, produz e dissemina informações e conhecimento sobre a área e o setor, através de dois projetos específicos:
·         Agência de Notícias Brasil que Lê – Produz e distribui informações e opiniões diariamente sobre a área do livro e leitura para 3 mil redações de jornais, revistas, televisão, rádio e sites no País.
·         Revista digital Brasil Que Lê – Produz a publicação semanal que circula na internet para um público de 80 mil usuários e é considerada uma das principais referências da área do livro e da leitura.
·         Centro de Estudos e Pesquisas – Desenvolvimento de estudos e pesquisas, em parceria com outras instituições, universidades, pesquisadores e entidades da área do livro e da leitura, sobre temas de relevância. Entre suas atividades, estão o monitoramento e as análises sobre a execução de políticas públicas do livro e leitura e a realização de debates sobre esses temas.
·         Portal do Livro e da Leitura – Identifica, mapeia, integra e analisa dados existentes no Brasil e no mundo sobre as áreas acima, disponibilizando gratuitamente todo tipo de informação e conhecimento acumulado sobre esses temas.

A pesquisa realizada teve como intenção descobrir os suportes utilizados pelos usuários para a leitura de e-books, assim como se os mesmos gostavam dos e-books e de sua dinâmica.
Apesar do “temor” do livro ser substituído pela plataforma digital, as respostas dizem o contrário. Apenas 5,30% dos entrevistados acham que o livro em papel irá acabar enquanto 82,08% acreditam que os dois suportes vão conviver em igualdade.
A Monitoria já realizou uma matéria a respeito da eterna briga do DigitalxFísico em que relata a respeito das qualidades e dificuldades encontradas nos dois suportes.
Quando o assunto é o suporte para a leitura dos e-books, o tablet ganha com seus 57,46 % e, surpreendentemente, o e-reader (plataforma criada exclusivamente para a leitura de e-books) fica em penúltimo lugar com 14,93%.



Dados como esse são interessantes para que bibliotecários, e futuros bibliotecários, possam conhecer mais os usuários brasileiros e suas opiniões. Claro que cada acervo  possui suas particularidades, assim como alguns nunca dariam certo com somente e-books, outros consideram o livro em papel completamente ultrapassado. O que podemos (e devemos) fazer é sempre ouvir nosso usuário através de pesquisas, sugestões e críticas. Faz parte do nosso trabalho sempre encontrar maneiras de melhorar o acesso a informação, e se isso incluir novas ferramentas, então é nossa missão estuda-las, aprende-las e aplica-las. 

Quer saber mais? Então confira  a matéria com os dados completos da pesquisa:

http://biblioo.info/blogdaredacao/os-livros-eletronicos-e-seu-impacto-nas-bibliotecas/

Um comentário:

  1. Ótima pesquisa. Nenhum suporte substituirá o outro, a co-existência sempre é o melhor caminho.

    ResponderExcluir