domingo, maio 04, 2014

Marketing em Unidades de Informação: algumas reflexões para a aplicação.

Na segunda-feira dia 28 de abril a bibliotecária e consultora de Business Intelligence, Denise Rodrigues So apresentou uma palestra sobre “Marketing em Unidades de Informação: algumas reflexões para a aplicação”.
Os alunos Flávio Gianne e Sidnei Rodrigues de Andrade do 5º Semestre matutino do Curso de Biblioteconomia da FESPSP prepararam um relato à respeito.

Denise tem larga experiência corporativa concentrada em Marketing e Comunicação e iniciou sua palestra com um dado superinteressante que é a menção da mentalidade de Marketing no nascimento da moderna biblioteca. Samuel Green no último quartel do século XIX entendia que o usuário que adentra a Biblioteca não podia sair dali sem a informação procurada assim como se esperava que o consumidor que adentrasse uma loja não saísse de lá sem o produto desejado.
Denise enfatizou os mitos que envolvem a relação Marketing e Unidade de Informação (UI) onde ainda prevalece a estranha ideia de incompatibilidade deste setor com esta que é uma indispensável ferramenta de qualquer gestão, num mundo altamente comunicativo e competitivo.
Segundo Denise, Gestão define o Marketing o qual não pode ser confundido com ações pontuais de comunicação e promoção. Marketing é uma visão estratégica da administração que visa trabalhar mercados, construí-los, bem como a própria imagem da corporação junto a eles, e que no caso da Biblioteca/UI deve ser entendido como sendo o seu target, usuários e comunidade. Sendo assim o Marketing perpassa todas as atividades bibliotecárias e de informação, sendo diretamente associadas às atividades fins que, todavia requerem o fiel cumprimento das funções técnicas por meio das quais a profissão cumpre a sua missão.
Numa rápida panorâmica bastante instrutiva, Denise discorreu sobre as três fases do Marketing.
A primeira centrada nas vendas pela natural alta demanda de compradores então existentes; a segunda centrada no produto que, passando a ser mais ofertado que procurado, exigiu um trabalho de diferenciação de seus equivalentes; e por fim a fase centrada no consumidor, mais exatamente no seu bolso, onde o share of pocket representa a disputa de cada centavo de sua limitada renda, a qual pode ser atraída para as mais diferentes compras.
Concluiu-se que os 4 Ps do Marketing: produto, praça, preço e promoção, devem fazem parte da realidade também da Biblioteca/UI que deve ser vista e tratada como empreendimento, empresa, visando o seu lucro, entendido este em sua dimensão social, já que a informação é efetivamente commodity e como tal precisa circular, atendendo as necessidades do maior número de consumidores/produtores, dando satisfação a todos os seus stakeholders.
Apesar de o mercado informacional ter suas particularidades, a mensuração de seus resultados não pode deixar de ser tratada como um dado objetivo, e como Denise cogitou tudo talvez seja mesmo mensurável.
Nós alunos do quinto semestre do matutino agradecemos a Denise e a professora Adriana Souza por mais esta oportunidade de aprender, e sobre um tema que muito pode contribuir para uma maior significação social da nossa profissão.
Flávio Gianne

No início da palestra Denise apresentou aos discentes a origem do marketing em unidades de informação, e uma árvore genealógica do marketing, explicando como ele foi, com o tempo, construído em suas diferentes manifestações.
Mencionou um especialista, Samuel Green, precursor da visão de marketing na Biblioteca, e em seguida apresentou os seus principais elementos que são as vendas, o produto e o consumidor. Relatou para os futuros bibliotecários, a necessidade de conhecer o perfil do seu público/usuário realizando um estudo sobre ele e sobre a comunidade da qual faz parte. Também relatou um pensamento extremamente importante para aqueles que pensam em desenvolver qualquer estratégia de marketing em uma unidade de informação: “O cliente [usuário] não quer o produto, mas a informação”.
A palestra foi muito bem explicada, sobretudo àqueles sem muito entendimento do assunto, os quais tomam o marketing apenas como mais uma forma de estimular o consumo, desconhecendo a grande diferença que pode fazer para a disseminação da informação nesta nossa sociedade contemporânea cada vez mais conectada por mídias sociais.
Sidnei Rodrigues de Andrade




Caso queria saber mais a respeito mande um e-mail para monitorcientificofabci@gmail.com e solicite a apresentação de slides utilizada na palestra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário