domingo, agosto 23, 2015

Coluna Música e Livros por Bruno Carvalho

Música e Livros é uma coluna escrita por Bruno Carvalho, ex-aluno de Biblioteconomia da FESPSP, que fala a respeito de bandas e o que elas leem, mostrando que música e livros tem tudo a ver!
Este mês Bruno entrevista a banda Pornograma, de Duque de Caxias.


Da esquerda para a direita: Loemi Loureiro,
Regina Batel, Vanessa Ramos e Fabí Magnier
.
Bruno Carvalho: Quando a banda começou? Quem são as integrantes?

 A banda foi fundada no final de 2012, variando entre muitas formações.A atual é: Regina Batel (Vocal), Vanessa Ramos (Baixo), Fabi Magnier (Guitarra) e Loemi Loureiro (Bateria). O nome surgiu quando algumas meninas da antiga formação e da atual estavam conversando... A gente vê como uma forma de mostrar que, apesar de ser uma banda feminina, a gente (por ser mulher) pode falar sobre temas que homens falam com naturalidade, como sexo, mulheres, cerveja.... É como um grito de liberdade meio indefinido.

Bruno Carvalho: Quais são as temáticas presentes nas  letras de vocês?

As musicas costumam falar sobre politica, mulheres independentes e sentimentos.

Bruno Carvalho: Tem alguma música inspirada em livro?

 Não.

Bruno Carvalho: O que estão lendo no momento?

Os livros : O segredo, A convidada, A vida de um psicopata.

Bruno Carvalho: Como veem a cena de rock feminino no Rio de Janeiro? E em Duque de Caxias? 

Há bandas muito boas, tivemos a oportunidade de tocar com muitas bandas femininas com propostas bacanas e com estilos variados. Porém  são poucas que se destacam e se mantém firme. Temos como exemplo a Melyra, Indiscipline Mortarium. Creio que somos a unica banda composta apenas de garotas em ativa na cena de Caxias.

Bruno Carvalho: Qual a influência musical da banda?

As bandas: Hole, Bikini Kill, L7, The Runaways, Camberries, The Distillers, etc.

Bruno Carvalho: Fiquem a vontade para deixar uma mensagem para os leitores do blog, falar sobre a banda, dizer o que quiserem.

A banda tem como objetivo divulgação de musicas autorais em português resgatando o estilo do movimento Riots Girls, seguindo a linha punk rock, hard core e grunge, com letras em português, transmitindo claramente nossa mensagem nas letras pra o publico abordando fatos sobre a realidade e a visão dos jovens do século XXl sobre relacionamento, politica,  questões sociais, pensamentos , etc, além de mostrar o poder unicamente feminino, independente atuante no rock.Principais influencias: L7, Hole, The Distillers, Joan Jett, The Runaways, Bikini Kill, entre outras.

 A banda Pornograma nas redes sociais:

4 comentários:

  1. parabéns pela coluna, foi uma excelente ideia divulgar a produção e consumo cultural de artistas contemporâneos, e fazer a integração linguagem musical e escrita. Não conhecia a banda, e agora vou buscar suas músicas para ouvir. O Bruno como colaborador da coluna está perfeito, ele tem muito a informar. Valeu!!! Tania Callegaro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário prof. Tania.
      O Bruno realmente está arrasando.

      Excluir
  2. Ótimo, atual e de repertório cáustico pra causa que se pretende. A ideia do rock se faz vanguardista e informal, ainda mais nos dias atuais, com boas questões - o Bruno precursor na área - e multidisciplinaridade no quesito profissional da informação. O rock, as vezes tão questionado por alguns, é rubricado com legitimidade, autenticidade e registro de boas informações. O amigon Bruno nos anestesia com pérolas do bom e velho rock'n'roll...Na mira certa camarada rocker!!!

    ResponderExcluir