domingo, outubro 25, 2015

Um olhar "diferente" sobre o espaço da biblioteca

O SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem, promoveu, na semana passada um evento com a Presidente da Associação Americana das Bibliotecas Escolares (AASL), Leslie Preddy, que contou sobre o "Movimento Maker nas Bibliotecas".

Uma de nossas alunas, e ex-Monitora Científica, Andrezza Camera, nos contou como foi esta apresentação...

"Na segunda-feira dia 19 de outubro, aconteceu durante o período da manhã a palestra “O Movimento Maker em sua Biblioteca” com Leslie Preddy. O Movimento Maker é um acontecimento que já tem suas marcas nas bibliotecas americanas, e pode ser encontrada em algumas ações nas bibliotecas brasileiras. O Movimento Maker consiste em transformar os espaços das bibliotecas, abrindo a possibilidade de outras atividades com fins culturais e artísticos de ocorrerem dentro do mesmo ambiente. Leslie conta como fez com que sua biblioteca escolar fosse um sucesso: ela abriu as portas para diversas oficinas criadas a partir do interesse de seus alunos, correndo atrás de patrocínios e os materiais necessários, unindo as necessidades dos alunos com as práticas culturais que estimulassem a criatividade e a independência.

Leslie citou a necessidade dos usuários dos dias de hoje de serem autodidatas, em um mundo em que tudo é informação, e que podemos acessá-la de qualquer lugar diretamente de nossos celulares, é muito comum que aprendamos remotamente e de forma individual, através de tutoriais online, vídeos e imagens. Essa experiência é importante e necessária, já que é da curiosidade e da vontade de aprendizado (mesmo sem curso disponível) que se faz os revolucionários do mundo moderno.

O Movimento Maker trabalha com etapas, sendo a primeira o passar das informações básicas, a segunda o “brincar” com aquelas informações e colocar em prática, e a terceira e quarta etapas consistem adaptar esses conhecimentos com suas ideias, criar e imaginar além.

Em suma, as oficinas do Movimento Maker são mais do que simples oficinas, são portas de entrada para que a criança e o adolescente adote uma nova postura sobre o conhecimento e o aprendizado, apropriando-se do ambiente da biblioteca e aprenda “brincando” fazendo com que a metodologia do ensino se transforme.

Em nossas bibliotecas já vemos iniciativas que possuem semelhanças com o Movimento Maker. Oficinas, cursos, palestras, oferecidos nas redes públicas que lembram o movimento, e é claro que temos muito ainda o que aprender e evoluir, mas podemos afirmar que a iniciativa já temos, e que ela já dá frutos.

Depois da palestra Leslie foi até a Fundação Escola de Sociologia e Política onde teve uma reunião informal com os profissionais da Fundação, para esclarecer algumas duvidas, bater um papo sobre o Movimento na Biblioteca de Leslie e para o enriquecimento dos docentes sobre o assunto."




Debate com Leslie Preddy na FESPSP

Nenhum comentário:

Postar um comentário