segunda-feira, novembro 16, 2015

#PorqueEscolhiBiblio

Para celebrar os 75 anos do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FaBCI-FESPSP, fizemos ao longo das últimas semanas entrevistas com alunos que escolheram o curso de Biblioteconomia como segunda graduação. 



A intenção da série #PorqueEscolhiBiblio é mostrar que os alunos tem perfis diversificados, e que nossa área é coringa e pode ser combinada com praticamente todas as outras.

Nesta semana, entrevistamos a aluna Agata Gomes, que está se formando este ano...

Agata é carioca e já trabalhou como professora do ensino fundamental e médio, ela é formada em Geografia pela UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro, enquanto aluna, ela participou de projetos de Monitoria Científica e também foi tutora em pré-vestibulares sociais ligados à instituição. Ela se formou em dezembro de 2008.

"E escolhi Geografia, por uma paixão... assim...sabe? Acho que me apaixonei pela disciplina durante o  ensino médio. Durante o ensino médio, tive um professor chamado Álvaro Mattos, ele era maravilhoso, muito calmo, muito sereno, mas o conhecimento que ele passava, as histórias que ele contava,me fez apaixonar..."

"Eu sempre fui muito apaixonada, fiz o curso muito apaixonada, eu estudava por prazer, com uma vontade muito grande de estudar, mesmo na UFRJ que tinha matérias mais técnicas, fiz matemática, cálculo I e II, a parte de estatística, a parte de cartografia que tinha muito cálculo, mesmo essa matérias mais técnicas e pesadas eu curtia muito. Eu fiz com muito prazer..."

Ela trabalhou como docente durante 6 ou 7 anos mais ou menos, e teve o choque de realidade da educação pública, as dificuldades relacionadas à recursos e a indisciplina e até mesmo a violência ocasionadas pela falta de interesse do alunos, que não viam muito sentido em estar ali (na escola).

Como alternativa para driblar as dificuldades, a Agata começou a utilizar o espaço da "biblioteca"da escola, ou como ela mesmo mencionou o depósito, para trabalhar leituras dramáticas, leituras de contos, contação de histórias, teatro.... sempre com temáticas relacionadas à disciplina que ela ensinava... no início os alunos, não estavam tão focados nos materiais bibliográficos e sim na aventura de não estar tão "presos" na sala de aula... a ideias funcionou, os alunos melhoram sua postura... e nós ganhamos mias uma apaixonada por livros...

"Mesmo de forma solitária, esse projeto foi caminhando, ... e eu comecei a refletir sobre a minha prática, sobre a minha ação... e eu comecei a perceber que eu estava muito mais feliz dentro da biblioteca, do que de fato em sala de aula, ou melhor, a minha prática em sala de aula não estava mais completa...eu precisava da biblioteca..."

De forma intuitiva, ela começou uma organização mais simples e foi buscar maneiras mais práticas de organizar este material, e na internet ela descobriu a Biblioteconomia. Em um momento que ela já pensava numa outra graduação, que poderia ter sido em Administração de Empresas, até mesmo pela ponte com a gestão de unidades escolares, a paixão falou mais alto. Ela retornou para a UFRJ, no período da tarde, enquanto dava aula de manhã e em alguns momentos também de noite...

Sua história em São Paulo, começa quando seu esposo recebe uma oportunidade muito boa de emprego, e eles resolvem se mudar... pensando nas melhores opções de faculdade para prosseguir no estudo da "biblio", sua primeira perspectiva foi USP, para dar continuidade as características da sua faculdade que também era pública... Quando tudo já estava praticamente certo para sua iniciação, as questões como distância e localização da faculdade não agradaram tanto, e ela continuou a buscar outras opções... e encontrou um estágio, para definitivamente mergulhar de cabeça no nosso mundo...

"Mesmo antes de começar minhas aulas, mesmo sem começar a estudar aqui em São Paulo, eu já tinha estágio... comecei a estagiar na FGV - Fundação Getúlio Vargas, e aí lá existiam outro s estagiários e funcionários, inclusive funcionários formados pela USP e pela FESPSP e comecei a indagar as pessoas, sobre a possibilidade de ir pra USP ou pra FESPS, sobre as melhores opções, e majoritariamente me falaram a seguinte questão: " se você quer ir para o mercado, seguir a FESPS é a melhor opção, a USP vai te dar bagagem mais acadêmica... este seu objetivo lá na frente vai determinar onde você deve estudar agora...".

Uma de nossas alunas do 6º semestre, foi determinante para a escolha da Agata, a Cristiana Cuencas, também era estagiária na FGV  e foi ela quem apresentou a FESPSP e auxiliou na Agata, que ainda estava um pouco perdida em São Paulo....

Ela diz ter crescido muito como profissional, e ter aberto sua visão do profissional, mas também afirma que o profissional ainda hoje é muito tímido no mercado, falta a coragem para aceitar os desafios do mercado, até mesmo para ganhar reconhecimento e "respeito" lá fora....

Ela é uma docente nata! E esse será seu caminho daqui para frente... e é nisso que ela quer investir... mas não só na formação acadêmica mas também o viés prático é importante para o docente que deve levar essa vivência para a sala de aula.

Hoje ela é Auxiliar de biblioteca na rede de Bibliotecas do SENAC, na unidade Guarulhos. A troca com o usuário é muito importante e o aprendizado é constante,  a sua vivência em sala de aula tem ajudado muito na abordagem com os usuários, com o ouvir... "As vezes não é implementar aquilo que a gente acha interessante, é implementar aquilo que o usuário precisa, re para isso precisa é importante ouvir este usuário".

Nenhum comentário:

Postar um comentário