terça-feira, abril 11, 2017

Se Liga FaBCI - Programa de Tutoria Voluntária 2017.


E chega o momento de ter a oportunidade de participar da TUTORIA VOLUNTÁRIA FaBCI. Mas, você sabe como funciona esse programa da FESPSP?

Calma, ninguém se desespere. Como a MC é feita pra você e por você, é lógico que não poderíamos deixar de trazer tudo sobre esse tema e sanar todas as dúvidas. E fizemos mais, através dos relatos da Ágata Souza (uma ex-tutora) e da Daniele Maria de Sousa (uma ex-tutorada), teremos uma visão geral sobre como o programa funciona.





Relato de Ágata Souza (ex-tutora)
(Entrevista/Depoimento extraído de gravação feita em 07/04/2017)

  
Meu nome é Ágata, fui estudante da FESPSP entre os anos de 2014/2015 e no meu ano de conclusão vi a oportunidade de institucionalizar uma prática que eu já fazia, que era a de parceria, compartilhamento de informações com outros alunos. Na sala de aula, sempre alguém tinha alguma dificuldade, assim como eu, e essa troca era fundamental, afinal, nós que trabalhamos com informação, temos quase que por obrigação criar essas redes e possibilidades de compartilhamento. 

Neste último ano de Biblioteconomia, surgiu a oportunidade de atuar primeiramente como monitora, auxiliando nas disciplinas de Normalização e Projetos Culturais. A ideia era gerar oficinas, bate-papos, troca de exercícios que fossem um complemento às aulas.  Nesse processo eu acabei me tornando um pouco mais próxima de vários alunos de todos os semestres, e percebi que aquele ano era de TCC e tinham vários alunos com muitas dificuldades que eram ainda maiores que as minhas. Pensei então, porque não tentar ajudar esses alunos, e isso se deu de maneira formal, institucionalizada pelo programa de Tutoria Voluntária.

Neste programa me dediquei especificamente a um aluno do curso (que é a dinâmica constituinte), que precisava de toda a orientação com relação à Metodologia, organização dos capítulos do TCC, apurar um pouco mais as ideias e toda a parte de pesquisa sendo essa a minha função como tutora. 

Foi um trabalho maravilhoso, porque ao ensinar a gente aprende, parece uma frase démodé, mas não é, pois acontece exatamente isso, ao tentar esclarecer algo pro outro, aquilo acaba se tornando ainda mais claro pra gente, então eu ajudava esse aluno nesse processo de conversa e bate-papo, e via que em muitos casos a necessidade do tutorando era exatamente essa, ter tempo, alguém específico para conversar, expor, esclarecer dúvidas, e às vezes não é nem o tutor que as esclarece, mas no diálogo e discussão sobre aquele tema, o próprio tutorando acabava achando a solução para o seu problema de pesquisa.

Outro ganho que conseguimos definir com essa parceria, foi com relação ao cronograma, ao sinalizar para o tutorando “olha na próxima semana tem que fechar o capítulo 3”; “Olha o prazo de entrega, será que não dá pra adiantar...”, ou seja, acompanhar, desenvolver junto um cronograma para a entrega das atividades porque o tempo passa muito rápido e o tutorando tem várias disciplinas pra fazer junto com o TCC. Acho que esse é o papel do tutor, estar junto, perto e acompanhar de maneira próxima.

Se observarmos o significado da palavra “TUTOR” ela é muito emblemática, significa: aquele que tem o encargo de amparar, de proteger e auxiliar alguém. É um papel de grande responsabilidade, mas que é fundamental. Muitas vezes o professor tem tantas demandas (questões pedagógicas, burocráticas, a carga horária de trabalho na instituição não é tão ampla), então é muito difícil ter esse olhar individual, poder amparar, proteger, ajudar o aluno a construir o conhecimento e o autoconhecimento das suas limitações e habilidades, por não ter tempo hábil para isso. 

Esse processo sendo realizado por pares (aluno/ex-aluno com aluno) tem o poder mágico de ampliar o potencial e a qualidade da vida acadêmica para ambos (tutor e tutorando), mas também de sociabilização, pois se criam vínculos, parcerias que os tornam mais humanos.
A tutoria é um caminho não só de aprendizado, mas de humanização.



Relato de Daniele Maria de Sousa (ex-tutorada)

Sou aluna da FESPSP e no momento estou cursando o 5º semestre do último ano. Durante a caminhada me encontrei com diversas dificuldades em determinadas matérias, a mais complicada foi a disciplina de Linguagens Documentárias Pré-Coordenadas, ministrada pela excelente professora Adriana Souza, acredito que acabei gerando um grande bloqueio na minha aprendizagem, pois quanto mais estudava menos conseguia entender. 

Então surgiu a oportunidade de me candidatar e ter um ex-aluno como meu tutor, seria uma forma de aprender com alguém que saberia exatamente o que eu estava sentindo, que forneceria o seu tempo para me ajudar e entender a estrutura da CDD e fora que eu já sabia que a tutora era a Isabela Martins, uma pessoa querida e admirada por todos e que tem uma didática incrível. 

Ou seja, além das aulas da professora Adriana a tutoria agregou um aprendizado além da sala de aula, estreitou laços entre alunos e antigos alunos e facilitou o entendimento da disciplina de forma amigável e prazerosa, com pessoas capacitadas com uma maior experiência acadêmica.



Veja em qual modalidade você se encaixa Tutor ou Tutorado, e aproveite mais este canal de troca de informações e geração de conhecimento de forma totalmente interativa e colaborativa.  

Diferente do ano passado, a tutoria pode ser feita para alunos de todos os anos, não somente para os ingressantes. Para maiores informações você pode consultar a matéria da MC do ano passado neste link e sobre o funcionamento do programa, consulte as Diretrizes do Programa de Tutoria Voluntária.


Dúvidas e inscrições devem ser direcionadas para o email da coordenadora Profª Dra. Valéria Valls em valls@fespsp.org.br

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário