terça-feira, maio 02, 2017

Coluna: BiblioPedagogia - O BNCC, as competências e a biblioteca escolar. Por Isabela Martins.


Olá biblioamigos!
Vamos bater mais um papo sobre BiblioPedagogia?! Hoje gostaria de trazer um assunto muito debatido nos últimos meses, o BNCC (Base Nacional Comum Curricular), e como a biblioteca escolar entra (ou poderia entrar) nesse projeto, que visa estabelecer as aprendizagens essenciais para alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Fonte: Freepik

Na página 18 do documento (lembrando que estamos, nesse momento, na terceira revisão) temos as 10 Competências gerais, que permeiam todo o projeto.
Ao olharmos para elas podemos observar um caráter multidisciplinar, e uma alta valorização do conhecimento, quer dizer, consumir informações e transformá-las em conhecimento. Em outros momentos do texto fala-se muito na autonomia do aluno, no aprender a aprender, porque aprender, entre outros pontos, sempre relacionados à capacidade crítica do aluno.

Sinceramente nem sei como pensar ou fazer isso apenas na sala de aula. Penso na educação como algo do mundo, DE e PARA a sociedade. Vejo que o BNCC busca sim um objetivo legal, amplo, que atenda a uma sociedade diferente e dinâmica, mas fico com muitas dúvidas sobre a sua implementação. Não enxergo mais uma educação dentro da sala de aula. A enxergo tomando posse do mundo. E vice-versa.

Mas indo diretamente à discussão proposta aqui, não vejo uma educação sem uma proposta firme e coerente de Leitura. Observem que nem coloco como Biblioteca, mas Leitura mesmo. Antes de cobrar bibliotecas, precisamos mesmo é começar a cobrar a Leitura, com L maiúsculo mesmo. Daí para termos bibliotecas espalhadas por todos os cantos, e emprego digno para nós, é um pulo.

Quando fiz meu TCC em 2015, com o tema "Competência informacional na biblioteca escolar", pesquisei sobre o histórico da Competência informacional, que nasceu nos Estados Unidos. O grande boom se deu em 1983, quando foi lançado um relatório sobre a educação no país. Porém este relatório ignorou completamente o papel educacional das Bibliotecas, gerando uma grande reação dos bibliotecários. Enxergo muito isso no BNCC. Até temos algumas citações sobre biblioteca, mas "apenas" como o lugar para pegar os livros para leitura (livros de literatura) e é citada apenas na área de língua portuguesa. A diferença é que por aqui não vemos nenhuma reação por parte da classe bibliotecária.

Tenho certeza que temos muitas ações legais em bibliotecas escolares pelo Brasil. Tenho certeza também que muitos e muitos bibliotecários contribuíram para o BNCC, em sua fase de pesquisa. Porém nada disso é o suficiente. Faz-se clara a necessidade de rompermos cada vez mais com as nossas barreiras, físicas e emocionais, em nossa profissão. Vivemos um momento delicado, mas que talvez se torne frutífero. Cada um fazendo um pouquinho, a sua parte, podemos chegar a um denominador comum, que tenho certeza todos concordam: educação básica de qualidade e emprego digno para todos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário