sexta-feira, outubro 27, 2017

Se Liga FaBCI – Reabertura do Curso de Administração em 2018 na FESPSP.



De certo você já deve ter visto a divulgação dos cursos da FESPSP (que, aliás, ficou bem legal né!), e percebeu um novo personagem que na verdade está voltando a compor o cenário: Sociologia, Biblioteconomia e Administração.

Isso mesmo, teremos a reabertura do Curso de Administração FESPSP que conta com o Prof.Dr. Douglas Murilo Siqueira na coordenação que traz o porquê fazer ADM na FESPSP?

Mais do que formar um Administrador, a FESPSP prepara Líderes para um novo tempo. Tempo de mudanças, tempo de incertezas, tempo de inovações, tempo de saber lidar com gente, tempo de Ser Humano com Humanos e gerar Resultados com Propósito.

Confiram mais sobre o curso no link: http://www.fespsp.org.br/curso/24/administracao 

Aguardem novidades e divulguem nossa ADM.

E agora fiquem com uma super reportagem gentilmente cedida pelo Profº Douglas (publicada no jornal Diário Popular), tratando sobre como deve ser a ADM contemporânea, muito pertinente para nossa área com relação à gestão dos Serviços de Informações. Aproveitem!

 
Se liguem na campanha "Indique Amigos" e conquiste descontos para os cursos da FESPSP em 2018. Mais informações em breve via Facebook.


 
 Empresas Humanizadas dão Lucro?


Ao contrário do que pode se pensar, a empresa considerada humanizada pertence ao capitalismo e vive em um mercado competitivo onde o retorno financeiro é garantia de sua sobrevivência. Mas então, o que difere este tipo de empresa das demais?  As organizações consideradas humanizadas fornecem um ambiente de trabalho mais democrático e justo e buscam promover uma qualidade de vida melhor para seus funcionários. Suas ações extrapolam as fronteiras da empresa e impactam positivamente nos familiares, na sociedade e no meio ambiente.   

São empresas que buscam o ENGAJAMENTO de suas pessoas ao redor de um PROPÓSITO que FAÇA SENTIDO para todos da organização.  Mas, que seria um propósito que tem a capacidade de unir e engajar as pessoas?   Em pesquisa realizada em uma indústria de 400 funcionários, pude presenciar o engajamento no brilho dos olhos das pessoas. O que unia todos é o SENTIDO do trabalho que faziam.  Produzem um dos componentes na fabricação de pneus, mas, para todos, não era somente mais um componente, mas algo que garante a segurança para alguma família que poderá utilizar o pneu que contém o produto por eles fabricado.

O engajamento vem principalmente do respeito que a empresa tem para com suas pessoas. Um dos entrevistados, de nível gerencial, não trocaria de empresa, mesmo com salário superior, pois “agora tenho vida e produzo muito mais, pois chego em casa sem estresse, meu filho e minha esposa sentiram a diferença... isso não tem preço”. 

E o lucro? Ele vem como CONSEQUENCIA DO ENGAJAMENTO. Prova está em várias organizações que atuam com propósito antes do lucro, cujo retorno para ao acionista é bem superior ao modelo do lucro pelo lucro. Empesas do “Sistema B” ou “Capitalismo Consciente”, percebem que Fazer o Bem, Faz Bem e Traz Bens. 

Neste contexto, o curso de Administração deve repensar sua matriz pedagógica a fim de dar foco na formação de um administrador com um olhar voltado não somente para o “lucro pelo lucro” mas que considere, de fato e não no discurso, o PROPÓSITO no lugar do “lucro”.  

Já comprovado que este tipo de administração traz um retorno para os acionistas e demais públicos impactados pela empresa maior e mais relevante. Importante ressaltar que as empresas que continuarem a tratar o tema somente no discurso, como quadros de “missão”, “visão” e “valores” pendurados nas paredes ou soltos nas mídias e intranets, não sairão do “mais do mesmo” e perderão talentos importantes, pois as pessoas talentosas hoje não buscam mais uma empresa somente para crescimento profissional, mas um lugar que lhes faça SENTIDO investir grande parte do tempo de sua vida, ou seja, que seu trabalho tenha um PROPÓSITO. Somente assim a organização ENGAJARÁ as pessoas e conquistará a sustentabilidade, seja social, ambiental e econômica.

Por fim, o modelo tradicional de ensino se mostra obsoleto na formação do novo perfil de administrador. O uso da Aprendizagem Baseada em Projetos é um caminho interessante, já que o aluno aprende fazendo e tem o professor no papel de “coach”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário