sexta-feira, novembro 03, 2017

Coluna: Filme da Semana. Por Ana Beatriz Cristaldo e Renato Reis.



E chegamos à semana 3 com o encerramento do especial sobre o filmaço “Blade Runner 2049” resenhado com muita competência e criatividade pelo querido Renato Reis. Confiram, inspirem-se a ir ao cinema e deem suas opiniões ;)



Blade Runner 2049

Por Renato Reis



Parte 3 – Cenários



Que cenários TOPS!!! São de ficar impressionadíssimo!



Não importa se é tudo chroma key, se é tudo criado pela equipe de computação gráfica da Sony, se grande parte deles são artes conceituais expressas nos VFX etc. O fato é que essa questão está mais que caprichada para o filme, uma obra de arte autêntica. O que torna a fotografia dele, inclusive, espetacular!



Durante o longa todo é possível observar as similaridades – novamente - com o Blade Runner. Toda referência sobre o primeiro é muito bem trabalhada e isso admirei demais! Há uma preocupação evidente em respeitar o mundo imaginado e criado por Ridley Scott para a adaptação do livro. Reparem no movimento que a câmera faz ao mostrar a cidade, os detalhes futurísticos, os anúncios de grandes marcas, a movimentação de pessoas e carros... É tudo muito igual ou parecido, dando aquela ideia de avanço tecnológico, mas sem mudança social (uma desigualdade social ainda maior, propiciada pela tecnologia e pelo crescimento desenfreado urbano). 


 

Anúncio gigantesco da Atari no filme, como alguns presentes no primeiro filme.
 

Aqueles tons alaranjados que você respeita. Na foto, Ryan Gosling caminha ao lado de sua viatura voadora da LAPD (que tem lá sua marca também - PAGA NÓIS). Cenário surpreendente pós-apocalíptico.


Até mesmo a globalização percebemos que é algo mais que ultrapassado, pois há uma diversidade inestimável de nacionalidades espalhadas pela cidade, pelos apartamentos e vias públicas. Japoneses, pessoas do leste europeu e africanos... Isso parece dar a ideia também de que o planeta Terra é um lugar esquecido, já que as colônias humanas extraterrestres são muito bem alimentadas pela (adivinhem!?) Wallace. Em primeira instância, a impressão que fica é que até as colônias nesse momento são lugares melhores para se viver.



Uma outra coisa muito curiosa é como se colocam os cenários pós-apocalípticos e mais afastados da grande cidade. Ver como tudo converge e como até mesmo o urbanismo e as predisposições físicas dos espaços estão intrinsecamente ligadas ao que a Wallace impõe. Além disso, a destruição de outros cenários nos remete novamente à questão do “blecaute”, mencionado em alguns momentos do filme. Afinal, o que foi isso? O que aconteceu com a humanidade para que chegasse a um boom conflituoso, uma queda de todo o sistema ou algo parecido que tenha feito algum estrago significante a ela? Mais algumas perguntas que ficam girando na nossa cabeça, ainda sem resposta.
  

Um exemplo do que foi comentado: as similaridades entre os cenários de ambos os filmes, do Blade Runner (acima) e do Blade Runner 2049 (abaixo). Um tanto parecido ou igual, não? Vejam a perspectiva do espaço (ponto no fundo), muito utilizada no cinema.
 

Essa questão que quis tocar é bem visual mesmo (desculpem o flood de imagens aqui, mas cá entre nós, essas são de arrepiar também!), então basta ver a cena, atentar aos detalhes dos espaços e como eles estão interligados ou dizem – muito – respeito à trama e toda a história, num contexto geral. É mais um lance que faz com que pensemos dentro e fora do cinema, não é apenas mais um filme hollywoodiano que nos serve apenas de distração ou entretenimento. Também comparei algumas dessas questões (e outras mais) com os amigos com as que o Black Mirror constrói comumente, achei legal fazer esse paralelo.



Gostaram desse formato de coluna, galera? O filme me apaixonou em todos os seus aspectos, sem sombra de dúvida, e já estou querendo ir ao cinema para revê-lo pela 3ª vez. Realmente excelente! Superou minhas expectativas. E quanto a vocês? O que acharam?





TÁ DISPONÍVEL ONDE!?!? Cinema (e, como disse, a experiência em sala IMAX é sensacional!!!)





P.S.: No momento em que escrevia as colunas pra vocês, não sabia da existência de algum(ns) curta(s) do universo de Blade Runner no YouTube e na internet, no geral. Um amigo muito legal (obrigado, Vini!!!) acabou encontrando um, em formato de anime, que conta a história do "misterioso" blackout! :) Não é o máximo?!



Eu assisti e aprovei! Está sensacional e vocês devem assistir, bem como o 2049! Não deixem de conferir no seguinte link:  https://www.youtube.com/watch?v=IXrofNffBJA&feature=youtu.be


Nenhum comentário:

Postar um comentário