domingo, junho 01, 2014

Visita Biblioteca São Paulo

Isabel Figueiredo é uma das colaboradoras da Monitoria Científica, sendo responsável pelo gerenciamento da divulgação de noticias e atividades da Monitoria no Facebook. Aluna do 1º semestre de Biblioteconomia, ela fez um relato a respeito de sua visita a Biblioteca São Paulo.



Uma visita ao mundo mágico da Biblioteca São Paulo

Fomos recepcionados pela bibliotecária Deise, que nos orientou durante a visita.
Guardamos as bolsas e fizemos o cadastro de sócio (usuário) que nos dá direito a utilizar os computadores e realizar empréstimos domiciliares.
Os espaços são amplos, iluminados, confortáveis e muito coloridos, o que remete a uma biblioteca jovem e receptiva. Sem falar na equipe, que foi muito atenciosa desde a recepção até o final da visita.
Conhecemos os espaços externos, nos foi explicada a organização e divisão do acervo, falamos um pouco também sobre a estrutura do prédio. Há uma divisão por idade e tipo de material: no piso térreo há o acervo infantil, infanto-juvenil e juvenil e no piso superior o acervo destinado aos adultos, em ambos os pisos existem espaços para leitura, acesso à internet e aos filmes disponibilizados na biblioteca; no andar superior existe a sala apelidada de “+18”, onde estão disponibilizados materiais com conteúdo mais pesado e a área “+60” onde todo o ambiente é pensado para o púbico com idade mais avança, com lupas e abajures para facilitar a leitura.
Em seu acervo, além dos materiais corriqueiros (livros, gibis e DVDs) são disponibilizados materiais em Braille, áudios-livro e livros falados, além de uma brinquedoteca com livros de tecido e livros musicais.
Um dos setores que mais despertou interesse da turma do matutino foi sem dúvida a área de acessibilidade do piso superior, onde tivemos contato com uma tecnologia pensada para pessoas com deficiência visual e motora. Um espaço constituído por “leitores autônomos” que transformam o texto escrito em arquivos de áudio, através da digitalização ou fotografia das páginas e que através de um software permite que pessoas com dificuldade para leitura possam ter acesso a materiais que ainda não estão disponíveis, seja em formatos de áudio e até mesmo Braille. Neste espaço também existem computadores com software para leitura de páginas de internet, o que auxilia pessoas com deficiência visual, computadores com teclados e mouses especialmente pensados para as pessoas com baixa visão, ampliador de caracteres para facilitar a leitura e um aparelho chamado “termofusor”, que cria imagens e textos em relevo através do papel cabonado.
Um dos pontos importantes é multidisciplinaridade da equipe que trabalha na Biblioteca São Paulo, que é composta não só por bibliotecários, mas também, por jornalistas, designs entre outros profissionais que ajudam a repensar essa visão de biblioteca pública.
Nossa visita a BSP terminou no auditório, onde ouvimos um pouco sobre os eventos que a biblioteca oferece.
Foi uma excelente oportunidade de conhecer uma biblioteca que apesar de pública tem características próprias e um grande acervo disponibilizado ao público com necessidades especiais.

Para saber um pouco mais sobre a Biblioteca São Paulo e sua acessibilidade:

Nenhum comentário:

Postar um comentário