segunda-feira, setembro 24, 2012

O livro da minha vida, por Beatrix Gussonato

A história sem fim
 




 
O depoimento da série “O livro da minha vida" desta semana é de Adrian Parra, aluno do 6º semestre matutino.


Sempre gostei de livros de literatura fantástica e policiais, quando criança lia os livros da série Vagalume e desde então tenho lido cada vez mais livros do gênero. Como a trilogia Fronteiras do Universo, livros do Sherlock Holmes e Poirot. Mas o livro de que vou falar é o meu preferido (óbvio, senão não seria o livro da minha vida). Ele é "A história sem fim" de Michael Ende.
 
O primeiro contato com a história foi através dos filmes que passavam frequentemente na sessão da tarde e cinema em casa. Alguns anos depois, vi o livro na biblioteca da escola em que fiz o segundo grau. Não posso negar a diferença, como sempre a história do livro é muito mais rica e detalhada, com uma infinidade de personagens que não aparecem nos filmes e grandes diferenças até mesmo de enredo. Até mesmo o meu personagem favorito não aparece nos filmes. =(
 
A história do livro engloba os dois primeiros filmes (eu acho que tem um terceiro, mas eu nunca assisti) e pode ser dividida em duas partes. No começo Bastian, o personagem principal, encontra um livro na loja de um alfarrabista, um livro de cor cobre e chamado "A história sem fim" e sente uma imensa vontade de lê-lo, então ele rouba o livro e foge para a escola, lá ele se tranca no sótão e entra em contato com o mundo de Fantasia, conhecendo personagens como a Imperatriz Criança e Atreiú.
 
 
O livro divide de forma interessante quando algo se passa no mundo real e quando ela se passa em Fantasia através da cor da fonte das letras. Em que o que acontece no mundo real está escrito em vermelho e o que acontece em fantasia, em verde. Várias vezes Bastian interrompe a leitura e começa a pensar no seu hábito de leitura, como por exemplo, ao sentir remorso por roubar o livro, ele começa a refletir como poucos entenderiam o porquê de tê-lo feito, pois somente alguém que um dia chorou ao terminar de ler um livro por sentir falta do amigo que o acompanhou na ultima aventura saberia qual o sentimento dele ao precisar tanto daquele livro, alguém como ele que não tinha amigos precisava muito de um e como esse livro supostamente não tem fim, seria um amigo que ele nunca perderia. A segunda parte é quando Bastian entra em Fantasia e começa a sua jornada e, como diria o locutor da sessão da tarde, arruma grandes confusões.
 
 
O que acho mais interessante no livro é quando um personagem secundário aparece e sua participação na história termina. O autor começa um breve relato do que acontece com o personagem e termina dizendo: mas isso é uma história para outra ocasião. Isso é a história sem fim. Uma história que tem personagens que tem suas próprias histórias que tem outros personagens com outras histórias...
 
E ao ler você já começa a imaginar o que aconteceu com aquele personagem, querendo criar a história dele. Acho que isso é uma das coisas que mudaram meus hábitos de leitura, pensar quando leio outros livros o que será que vai acontecer com tal personagem depois?
 
Para finalizar, o livro da bibliografia que li e mais gostei foi "A biblioteca mágica de Bibbi Boken" escrito por Klaus Hagerup e Jostein Gaarder (autor de o mundo de Sophia), da bibliografia complementar da disciplina de História da Produção dos Registros do Conhecimento. Ele conta a história do livro através de cartas trocadas entre duas crianças que tentam resolver um mistério. É hilário quando uma das crianças escuta uma bibliotecária falando sozinha: "Nossa! Como eu amo Diuí!"
 
Espero que ao ler este relato alguém se interesse e leia os livros citados, principalmente a história sem fim. Um livro que sempre me causa arrepios e que quando percebo já estou chorando rios de lágrimas com a jornada de Bastian e que a cada leitura parece ter algum detalhezinho que eu não tinha reparado antes.
 
 
 
Colaboração de Beatrix Gussonato, aluna do 4º semestre matutino

Um comentário:

  1. Depoimento super envolvente o do Adrian. Adorei.
    Eu li A biblioteca mágica de Bibbi Boken antes de entrar na Biblio, imagine minha surpresa quando a Mercês o indicou no plano de ensino :D

    ResponderExcluir