terça-feira, fevereiro 20, 2018

Mestrado Acadêmico ECA-USP: um sonho não mais impossível! Por: Daniela de Oliveira Correia

Os formandos do ano passado Nicolino Foschini e Daniela de Oliveira Correia, já foram aprovados em mestrados! Parabéns aos mestrandos!

Abaixo, a ex-monitora científica Dani, gentilmente relatou à monitoria toda sua saga para obter essa conquista. Deem uma olhada!


Mestrado Acadêmico ECA-USP: um sonho não mais impossível!


Nossa como é diferente escrever para a MC sendo a Daniela Correia e não mais o “alter ego” contido nas entrelinhas de cada matéria, mas apesar de novo, é muito bom continuar nesse espaço que aprendi a gostar tanto.

E não poderia ser em um momento mais feliz, pois tenho a alegria de vir aqui contar um pouco pra vocês sobre a minha experiência ao ter passado no processo seletivo da pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ECA-USP, para cursar o mestrado acadêmico, que se delineou como um sonho durante a minha graduação na FaBCI.

Mestranda Daniela Correia. Arquivo pessoal.
Bom, um pouco antes de falar sobre o processo de seleção propriamente, acho importante dizer que o que me motivou a me inscrever neste processo seletivo ainda cursando a graduação, foram as reuniões da Mentoria Voluntária (participem galera), projeto que tive a alegria de participar e ter como mentora a querida Profª Daniele Brene.

É claro que já tinha o desejo de seguir a carreira acadêmica e muitos dos professores da FaBCI me motivaram a isso, mas como nos encontros da mentoria uma das atividades era exatamente um planejamento do futuro profissional, eu coloquei esse sonho para a minha mentora e ela me orientou a tentar mesmo que como experiência no fim do ano de 2017 (junto com o final da minha graduação). Estive bem relutante no começo, e mesmo tendo que pagar um valor considerável de inscrição, assim que vi a divulgação do edital para ingresso na pós-graduação da USP, vi ali a chance de começar a correr atrás do sonho de estudar na USP, que sempre foi meu e dos meus pais (que não estão mais entre nós).

O período de inscrição foi de 01 à 12 de setembro. Inscrevi-me no último dia, e fiz a primeira etapa de um processo de três no dia 16 de outubro, com uma prova dissertativa com duração de 4 horas (foi bem punk). Nesse dia foi bem legal que apesar do nervosismo e de ter pensado várias vezes em desistir, estava bem cansada com o desenvolvimento do TCC, eu fui e acabei encontrando o Profº Francisco que me deu uma super força e consegui realizar a prova, que teve como tema: “Informação, Poder e Política”, contendo além das impressões pessoais a inclusão de citações da bibliografia dada.

Também entreguei um projeto e vários documentos, é tudo bem trabalhoso, mas valia a experiência, pois minha ideia era de entrar como aluna especial em 2018, estudar inglês (porque o mestrado exige a proficiência em uma língua estrangeira nível intermediário), e então prestar novamente a prova.

Não consigo mensurar o tamanho da minha surpresa quando o resultado da primeira etapa saiu no dia 23/10 e lá estava meu nome e ainda com a entrevista marcada (que consistia na segunda etapa), com um dos professores que eu sonhava em ter como orientador, o Profº José Fernando Modesto da Silva.

Fiz a entrevista no dia 13/11 e confesso que já estava mais do que satisfeita, pois além de passar na primeira fase “de primeira”, ainda consegui discutir sobre meu projeto com dois professores da ECA-USP e um sendo sumidade no assunto tema do meu projeto, que foi tirado do meu TCC, o qual eu ainda estava terminado de escrever e com o mesmo tema: Acervo musical: desafios na organização e representação de partituras.

A entrevista foi bem positiva, mas bem dura, pois em especial o Profº Modesto, que tomou a frente por ser mais engajado no tema, gostou muito do meu projeto, apontou várias melhorias e me disse que adoraria me orientar nesse tema, mas que para tudo tinha um tempo certo e poderia ser que não fosse o meu, muito por conta do meu currículo, já que não tinha nenhum artigo publicado, não tinha participado de muitos eventos grandes da área e poderia ser que outros candidatos que concorriam comigo tivessem um currículo melhor. Fiquei bem pessimista, mas muito feliz, pois pude apresentar minhas ideias, um pouco da minha trajetória de vida e acadêmica e só de ter tido esse contato, estava bem confiante que meus planos para 2018 dariam certo.

Quando vi a lista no dia 19/12, quase cai da cadeira. Estava aprovada e tinha sido escolhida como orientanda do Profº Fernando Modesto, parecia mais que um sonho.
Agora precisava correr com o estudo do inglês, que fazia tempo que não me dedicava, já havia feito 2 cursos mas com ênfase só em conversação e foram bem curtos, então para conseguir um certificado de proficiência nível intermediário com no mínimo 60%, era mais uma batalha enorme para enfrentar.

Passado as festas de final/início de ano, comecei a estudar inglês por conta (pois precisava de um certificado de proficiência nível intermediário com no mínimo 60%), e logo procurar uma escola com um curso voltado para esse tipo de preparação de prova. Encontrei algumas, mas todas muito caras, só consegui fechar aulas no dia 19/01 e foi um “intensivão”, pois as matrículas seriam no início de fevereiro (dias 05, 06 e 07), e se não tivesse esse documento, estaria eliminada do processo.

Depois de 10 horas de aulas e muito estudo entrando madrugada, prestei a prova no último dia 01/02, quase na data limite para conseguir estudar o máximo que pudesse.

Não contive as lágrimas quando recebi o resultado, havia passado e sim, um sonho agora poderia ser realizado. Efetuei minha matrícula no dia 05/02 agora sendo considerada uma ecana.

Agradeço demais em primeiro lugar à Deus, pois de certo nunca teria conseguido nada sem Ele. À todos os meus mestres da FESPSP na pessoa da minha querida Prof. Valéria Valls, por todo conhecimento, apoio e amor incondicional com que lecionam, são os meus exemplos e grandes incentivadores. Ao anjo professor de inglês que consegui aos 45 do segundo tempo por não me deixar desistir e por se dedicar para me ensinar da melhor forma e aos meus familiares e amigos por sempre acreditarem em mim mesmo quando eu mesma não conseguia. Agradeço de forma especial ao Profº Fernando Modesto pela confiança, espero não decepcioná-lo.

Como o Prof. Fernando Modesto me disse na entrevista, há sim uma hora para cada coisa e estou muito feliz por ter conquistado essa como a minha hora no mestrado, e na certeza de que cada um pode correr atrás do seu momento que ele virá.
Quem quiser conversar e saber detalhes, ou mesmo a parte da documentação ou do projeto que entreguei, estou super a disposição, é só me contatar.

2 comentários: