sexta-feira, maio 03, 2013

III Fórum de administração FESPSP: Gestão de pessoas no mundo globalizado



Luiz Sergio Cazzonatto, palestrante do III Forum de Administração

Um engenheiro nascido na Irlanda, de mãe brasileira e pai polonês, que trabalha na Ingalterra durante os meses de verão no hemisfério norte e na Indonésia no restante do ano, com direito a visitas à clientes em Singapura, Macau e Irã. Um superhomem onipresente? Não, apenas o perfil do colaborador típico do mundo globalizado. Para discutir a gestão destes colaboradores, as professoras do curso de Administração da FESPSP Adriana Abraão e Anna Sílvia Rosal de Rosal organizaram brilhantemente o III Forum de Administração, nos dias 25 e 26 de abril, com a presença de palestrantes que têm muito a dizer. Antonio Bei esteve por lá e nos  conta como foi, acompanhe:



O III Fórum de Administração FESPSP teve por escopo discutir a integração de mercados em um mundo globalizado, e como essa globalização interfere na vida das pessoas atualmente.

            A abertura do evento esteve a cargo dos professores da FESPSP Silvio José Moura e Silva e
Professora Ana Silvia Rosal de Rosal
Anna Silvia Rosal de Rosal, que apresentaram ao público presente os palestrantes da noite, ressaltando a importância do tema globalização nos tempos de hoje e como é o dia a dia daqueles que trabalham em organizações multinacionais.

            A palestra inicial foi proferida pela professora do Curso de Extensão de Pessoas da FESPSP, Cecília Saleme, responsável pelo departamento de Recursos Humanos da empresa Pernord Ricard Brasil. O tema apresentado foi “Como Desenvolver Pessoas no Mundo Globalizado”.

            Inicialmente, a palestrante apontou os maiores desafios que as empresas têm enfrentado com a globalização, e a relevância da nova polarização do poder econômico mundial, além dos impactos causados pelos ciclos de crescimento e recessão que geram instabilidade nos mercados de uma forma geral.

Professora Cecília Saleme, gerente de RH da Pernord  Ricard Brasil
            A seguir, tivemos uma ampla explanação sobre os reflexos da globalização nos departamentos de Recursos Humanos das empresas, o que mudou com essa nova situação e quais os requisitos e competências mais valorizados nas contratações atuais. Foi enfatizada a essencialidade do pleno conhecimento de outros idiomas, principalmente o inglês.

            Outros pontos foram abordados sobre o sistema de recrutamento de funcionários, como o fim das barreiras geográficas e culturais, as plataformas de recrutamento em rede e global, além da necessidade crescente de profissionais multinacionais.

            Prosseguindo, a palestrante traçou o perfil ideal das empresas de hoje, que visam destaque nacional e internacional, enfatizando os atributos necessários para diferenciá-las no mercado, tais como a qualidade de valores das empresas, a visão norteadora de seus objetivos e a missão que devem cumprir hoje e sempre, respeitando as leis do mercado.

            A parte seguinte e conclusiva da palestra versou sobre atuações profissionais e relações
Professora Adriana Yázigi Abrão
humanas dentro das organizações, com destaque para os diversos tipos de líderes e sua importância no sucesso empresarial. Foi mencionado o papel do líder na formação de uma equipe altamente competente e profissional, e como ele deve agir para conseguir um bom desempenho de seu grupo, e de que forma deve lidar com as adversidades que surgem, sem obstruir o desenvolvimento da empresa.

            Após a palestra, a professora da FESPSP, Adriana Abrão, organizadora do evento, abriu espaço para a participação do público, fazendo a primeira pergunta à palestrante: “Por que o brasileiro tem sido tão requisitado no mercado de trabalho internacional”?

            O segundo conferencista da noite foi o engenheiro Luiz Sérgio Cazzonatto, que atua profissionalmente na representação brasileira das empresas automobilísticas Hyundai e Subaru, e abordou o tema “Trabalho e Globalização, novos desafios para a Gestão de Pessoas”.

            A apresentação foi pautada no histórico profissional do palestrante ao longo de sua carreira
Luiz Sérgio Cazonatto, representando a Hyundai e a Subaru
nas empresas Hyundai e Subaru, cujas matrizes ficam na Coréia e no Japão, respectivamente.

            A tônica da palestra foi o relato minucioso e interessante sobre as características que Luiz Sérgio tem encontrado nos países orientais, principalmente na Coréia do Sul, tanto com relação aos hábitos culturais e pessoais, quanto aos profissionais, exigindo um longo aprendizado e boa dose de adaptação,

            Um dos pontos mencionados que mais chamou a atenção da platéia, foi a concorrência profissional que existe dentro das empresas coreanas, onde os funcionários dão o máximo de si e procuram o maior destaque possível, visando futuras promoções. Mesmo assim, não existe atitude desleal entre os integrantes da mesma organização, apenas uma luta honesta pelo sucesso profissional.

            Assim como na palestra anterior, foi destacada a necessidade imperiosa do conhecimento do língua inglesa, pois hoje, quem faz parte de um grupo multinacional, terá limitações em sua carreira se não dominar esse idioma.

            Vale destacar que a palestra versou mais sobre a globalização empresarial e comercial entre as principais economias do mundo, do que propriamente a globalização dos costumes, comprovando que ainda existe um grande apego às tradições por parte dos mais diferentes povos do planeta, e os hábitos étnicos ainda não foram globalizados.

            Após a explanação final, o palestrante respondeu às perguntas formuladas pela platéia, encerrando a primeira noite do III Fórum de Administração FESPSP.



Mariana Araújo, aluna do 3º semestre noturno, conversou com alguns participantes para saber a avaliação de cada um sobre a primeira noite de palestras:


Raquel e seu amigo Alexandre

Raquel, aluna do  2º ano de administração tem discutido sobre gestão de pessoas desde o primeiro semestre do curso e acredita que as as pessoas estão sendo bem preparadas, bem desenvolvidas para este mudo globalizado, mas ainda tem muita coisa para ser feita. “Temos que entender mais as pessoas, trabalhar com a pessoa mesmo. As empresas visam muito o trabalho e esquecem da pessoa em si. Não entendem por que aquela pessoa tem determinados problemas. Quando você passa a entender as pessoas, fica tudo mais fácil, o trabalho flui melhor”, explica Raquel.







Maurício, engenheiro da Camargo Corrêa
A palestra também atraiu público de fora da comunidade FESPSP. Maurício, engenheiro formado pela POLI-USP, trabalha na Camargo Corrêa, multinacional brasileira e vivencia diariamente situações similares relatadas pela professora Cecília Saleme: “Muito do que a professora Cecília falou a gente vê no dia-a-dia: a questão dos brasileiros, a gente contra os estrangeiros, a atualização que você tem que ter sempre para superar todos os desafios, e também achei bacana por que muito disso você leva para a sua vida pessoal, não é só para a empresa”, afirma o engenheiro.







Verônica Noronha
Os alunos de Biblioteconomia também participaram da palestra, dentro da disciplina “Gestão de serviços de informação”, com a Professora Valéria Valls. Verônica Noronha, do 3º semestre noturno, tem planos sobre como aplicar esse conhecimento de gestão de pessoas na unidade de serviços de informação em que estiver trabalhando: “O fundamental é saber lidar com o outro, saber lidar com a diversidade. Você tem que estar muito atualizado e é fundamental também aprender inglês.”

           









 Antonio Eduardo Bei é aluno do 3º semestre noturno


Nenhum comentário:

Postar um comentário