sexta-feira, maio 17, 2013

Sites dos CRBs: informação organizada para o bibliotecário?






"Nós estudamos 3 ou 5 anos para trabalhar com a informação e não a disponibilizamos corretamente entre nós mesmos." É esta a sensação da Bruna ao navegar pelos sites dos CRBs na internet. Está claro que nossos conselhos precisam de força e adesão. Quem se habilita? Veja na coluna da Bruna Gomes desta semana:





 

SEM DAR NOME AOS BOIS:

Foi-se o tempo em que rede social era sinônimo de entretenimento. Hoje, se for bem usada, ela é capaz de trazer informação.  Analisei 11 sites do CRB (Conselho Regional de Biblioteconomia) e o site do Conselho Federal para saber de que forma estamos usando essas ferramentas a nosso favor. Os resultados não são muito animadores: dos 12 sites, 5 divulgam alguma coisa através do facebook ou twitter, e desses 5, apenas 3 trazem noticias relevantes e satisfatórias. Um  tem um layout interativo e chamativo, totalmente fora do padrão, outros 3 não criaram páginas, criaram conta como pessoa no facebook, o que restringe o acesso às noticias por causa do processo para ser adicionado.  Além de checar redes sociais, analisei as noticias e eventos na página principal: alguns conselhos não colocaram nem uma nota sobre o Dia do Bibliotecário. Outros, usam o site do conselho como painel de divulgação de aniversariantes do mês.

Levando - se em conta todo o trabalho que existe por trás da manutenção dos sites e das contas na internet, em alguns conselhos vi um grande descaso. Nós estudamos 3 ou 5 anos para trabalhar com a informação e não a disponibilizamos corretamente entre nós mesmos. E não se trata de ferramentas para informar bibliotecários, poderíamos atrair profissionais de outras áreas, ou divulgar sobre leitura. Não é impossível fornecer um conteúdo de qualidade, seja qual for a situação. 
Estamos tão mal na foto que se digitar CRB no Google aparece o Clube Regatas de não-sei-o-quê ):

DANDO NOME AOS BOIS:

Conselho Federal de Biblioteconomia: Não utiliza redes sociais, mas a página principal está bem atualizada.

Conselho Regional de Biblioteconomia 1ª região: Além de usar facebook, twitter e youtube, estão desenvolvendo um novo site com um layout moderno.

CRB2: Não usa redes sociais, layout padrão, poucas noticias e eventos. Na página principal, uma lista de aniversariantes do mês.

CRB3: Sem noticias novas desde dezembro de 2012, porém os eventos estão atualizados, também não tem redes sociais.

CRB4: Mesma linha, última noticia de fevereiro de 2013 (aniversários), e um único evento: o congresso de julho.

CRB5: Não usa redes, porém a página principal do site compensa.

CRB6: Além de uma página principal com um ótimo conteúdo, possui um blog que divulga até oportunidade de emprego, uma página no face e uma conta no twitter atualizadas recentemente.

CRB7: Tem facebook, mas poderia melhorar: uma conta como página é muito mais dinâmica e melhor para divulgar do que uma conta como pessoa, por que o acesso às informações depende da aceitação. No caso de uma página não existe esse empecilho, é só curtir e pronto.

CRB8: Possui blog, e facebook como pessoa, na média no que diz respeito as atualizações, inclusive na página principal do site. A conta no site de armazenamento de imagens Picasa, é uma boa ideia, realmente inovadora, dá pra realmente ficar por dentro do que acontece no conselho.

CRB9: Página principal pouco atualizada, tem links interessantes na barra lateral, porém a conta no facebook é como pessoa.

CRB10: Ultimas atualizações são de julho-agosto de 2012 na página principal, possui um grupo no Yahoo, não consegui acessar.

CRB11: Desatualizado, apenas um evento  neste ano, e de janeiro, não usa nenhuma rede social.


Opinião


A análise da Bruna é muito interessante e reforça a necessidade do bibliotecário contribuir mais coletivamente. Temos inúmeros bibliotecários no Brasil ultraespecializados em arquitetura da informação e utilização de redes sociais. Onde estão esses bibliotecários que não ajudam os seus próprios Conselhos de classe? Sabemos que participar de movimentos associativos é uma atitude individual, nem todos tem tempo e interesse, mas isso nos faz pensar no porquê a profissão não tem o destaque social que poderia ter. A entrevista com o Oswaldo (OFAJ) reflete muito isso. Sua história de vida é um exemplo de um bibliotecário que tem lutado pelo coletivo.


Os alunos do 6º e 8º semestres (a partir de agosto/2013) receberão visitas das principais entidades da nossa área para tentar motivar os futuros bibliotecários para um olhar mais amplo de sua atuação profissional e social. Vamos lançar algumas sementinhas...




  



 Bruna Carolina Gomes é aluna do 3º semestre noturno e blogueira do Pontos de Acesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário