domingo, abril 27, 2014

Coluna carreiras: Bibliotecas em escolas de teatro.

Isabel Figueiredo é estudante de Biblioteconomia da FESPSP. Além de ajudar no Atividades Complementares FaBCI ela também é colaboradora aqui da monitoria cuidado da pagina do facebook.
Estagiaria da SP Escola de Teatro ela nos respondeu algumas perguntas a respeito do seu trabalho.

1.     Seu estágio é um pouco diferente dos demais, muitos estão acostumados a lidar com bibliotecas escolares, públicas e universitárias, conte um pouco a respeito do seu local de trabalho e o que você faz.

Eu faço estágio na SP Escola de Teatro, que é uma escola voltada para o preparo de profissionais ligados as artes do palco (atores, dramaturgos, diretores, sonoplastas, figurinistas etc). Atuo desde de outubro de 2013 na biblioteca, onde trabalho diretamente com as a formação de acervo (compras, doações, substituição de materiais danificados, pesquisa de obras raras entre outra coisas).
Hoje nossa biblioteca conta com o acervo particular de 4 grandes personalidades na área do teatro (Emílio Di Biasi, Alberto Guzik, Cristiane Riera e Ivan Cabral), o acervo é aberto para os alunos, professores, comunidade e pesquisadores.

2.     Qual é a parte mais interessante do seu trabalho?
É sem dúvida a pesquisa de substituição de materiais (como maior parte do acervo provém de doação, muitos materiais chegaram danificados e tentamos repor por um exemplar em melhor estado de conservação), durante a pesquisa posso conhecer um pouco mais dos gostos e da personalidade do doadores e entender a lógica que utilizavam para formar seu acervo pessoal. Por exemplo, sei que um dos doadores tinha um gosto musical apurado e tinha uma grande preferência por óperas, outro lia e escrevia muito bem em francês...
É como ser íntimo de alguém que você não conhece, é estranho, porém, gostoso.

3.     Quais são as maiores dificuldades que você encontra?
Muitos dos nossos materiais estão em outros idiomas como francês, inglês e até mesmo alemão... esta mistura de idiomas dificulta um pouco as pesquisas de substituição, pois, a tradução para o português nunca é exata, e em muitos casos é existente.

4. Pretende seguir o mesmo ramo quando formada?

É uma possibilidade, não posso descarta-la... vamos ver o que futuro tem para oferecer.

Isabel Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário