terça-feira, abril 11, 2017

Coluna: Onde Estão os Bibliotecários? Por Grazielli de Moraes.



Hoje na Coluna Onde Estão os Bibliotecários, trazemos Sheila Maria da Silveira, 24 anos, formada pela FESPSP em 2014. Em 2016 iniciou um MBA em Gestão da Informação em Saúde e esse ano retornou à FESP para iniciar sua pós-graduação em Gestão de Serviços da Informação

Antes disso, porém, estudou um pouco de tudo: turismo, logística, hotelaria e algumas outras coisas, mas nunca atuou na área, no entanto, menciona que tais conhecimentos lhe permitem até hoje ampliar sua visão e ter olhar crítico sobre as coisas.
Iniciou sua carreira profissional como professora numa escola de idiomas e saiu de lá como coordenadora pedagógica, experiência essa que a preparou muito para o ambiente acadêmico. 



Bibliotecária: Sheila Maria da Silveira


Falando de suas experiências profissionais na biblioteconomia, fez três estágios em áreas totalmente distintas (daí a prova de que biblioteconomia é um campo muito vasto e amplo de atuação). Seu primeiro estágio foi numa escola de idiomas, em seguida atuou numa instituição de ensino, realizando processamento técnico e o terceiro no Hospital Albert Einstein, onde está até hoje.

Em 2013 começou como estagiária no Hospital Albert Einstein no qual foi efetivada e hoje ocupa o cargo de Bibliotecária Júnior.

Em 2014 tornou-se responsável pelo gerenciamento do Programa Educação Médica Continuada (EMC) – trata-se de uma iniciativa da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein que incentiva o corpo clínico a manter constante atualização profissional de modo que culmine em melhor atendimento aos pacientes. O trabalho desenvolvido pelo EMC com o corpo clínico é hoje um dos indicadores que determinam a classificação do médico dentro da Sociedade, portanto tornou-se um pilar da instituição. Para que isso aconteça, os médicos precisam comprovar as atividades realizadas no âmbito acadêmico-cientifico e é na biblioteca que é realizada toda a gestão destes documentos.

“Classificamos, aprovamos, validamos e geramos indicadores para acompanhamento dos gestores e diretoria do Hospital. Este trabalho é feito por mim e, desde o ano passado, para que esse trabalho torne-se possível, conto com o suporte e apoio da Marcia Soledade, que também iniciou como estagiária e hoje é assistente.” (Sheila Maria da Silveira)

Além do gerenciamento do EMC, ela também presta suporte à pós-graduação, com correção dos trabalhos acadêmicos dos mestrandos e doutorandos e participa na parte de elaboração e desenvolvimento de projetos, além é claro das rotinas diárias da biblioteca.

“... em minhas experiências anteriores tive o azar de lidar com aquele tipo perfil profissional que tem medo de perder o posto e com isso tenta diminuir os outros (e digo ainda para os recém-chegados na área: paciência, meus caros, PACIÊNCIA!). Mas, apesar disso... pude aprender bastante e conhecer pessoas maravilhosas com quem criei vínculos até hoje... já me senti robotizada, realizando atividades puramente repetitivas que até gostava, mas não me sentia realizada... Hoje trabalho com pessoas maravilhosas, em um ambiente incrível e desafiador. Aqui me identifiquei e é onde tenho prazer de exercer minha profissão. Tenho clareza de que serei sempre uma aprendiz e por isso busco a cada dia aprimorar e realizar da melhor maneira as minhas atividades enquanto bibliotecária.” (Sheila Maria da Silveira)

A biblioteconomia para ela hoje não se resume apenas à gestão da informação, é algo muito maior, que envolve todo o viver duma sociedade. É uma área vital para a manutenção da educação, da cultura, da história e da civilidade.

“Não estamos presos num quarto fechado com livros, mas sim em espaços abertos para acolher a população e auxiliá-la em seu desenvolvimento.” (Sheila Maria da Silveira)

Em relação à FESPSP, ela acredita que foi possível expandir sua visão não somente na área da biblioteconomia, mas também em relação ao mundo, afinal, menciona ter sido notória sua mudança como pessoa.

“A FESP não forma apenas profissionais, forma pessoas com opinião e que estão engajadas na promoção do desenvolvimento coletivo.” (Sheila Maria Silveira)

Sheila menciona que é necessário o mais rápido possível que haja uma mudança no sentimento de individualidade dentro da área e mais humildade nos profissionais, além disso, é necessário que tenhamos mais compromisso com nós mesmos e não fiquemos esperando que os outros supram nossas necessidades ou façam algo por nós, é preciso arregaçar as mangas e ir atrás da mudança que queremos.

Em relação ao mercado de trabalho, ela acredita que a dificuldade de ter uma colocação profissional, sempre existiu e que dada à abrangência de nossa atuação isso não deveria acontecer.

“Apesar disso, creio que a dificuldade existe em todas as áreas. O mercado é sempre competitivo e sai na frente quem busca estar atualizado e fazer diferente. A formação não acaba na graduação e, quando estiver realmente atuando você percebe o mundo de coisas que ainda precisa aprender, coisas até que não estão diretamente ligadas à área.” (Sheila Maria da Silveira)

Falando do nosso órgão de classe (CRB) ela menciona que acha o órgão burocrático e nada dinâmico.

“Burocrático e nada dinâmico. Acho inacreditável que, estando em 2017 não temos, por exemplo, uma gama de serviços automatizados. Fora a questão de valores da anuidade, que não vou comentar para não estragar meu dia.” (Sheila Maria da Silveira)

Menciona também que falta na Biblioteconomia maiores opções de especialização e atualização.

“Sinto falta de maiores opções de especialização e atualização. Em geral vemos muita coisa voltada para gestão, bibliotecas escolares ou processos técnicos. A biblioteca é feita de muitas outras coisas e precisamos nos aprimorar nelas.” (Sheila Maria da Silveira)

Aos novos integrantes da área, ela deixa um recado:

“Sejam perseverantes. É puxado e cansativo, mas é um momento maravilhoso. Aproveitem as oportunidades e assumam o compromisso de fazer a diferença. A FESP é um ambiente espetacular, aproveitem cada minuto. Façam estágios e tenham experiências; identifiquem-se na área, assim tudo será bem mais leve.” (Sheila Maria da Silveira)

Por Hoje é só galera, espero que tenham curtido a entrevista desse mês (ABRIL), mês que vem tem mais.

  

3 comentários: