terça-feira, abril 11, 2017

Trabalhos Temáticos - Destaques do 2º Semestre de 2016.

Foram publicados no site da FESPSP os Trabalhos Temáticos Destaques do 2º Semestre de 2016.


Mas em especial para quem não é aluno da FaBCI, vamos ver o que é o Trabalho Temático.

É um trabalho produzido no 1º ano do curso (1º e 2º semestres), que conta com a coordenação do Prof. Ivan Russeff. É feita a escolha de um livro da literatura brasileira que é apresentado à comunidade acadêmica com a proposta de se compor ensaios sobre temas diversos relacionados à obra.

Sobre os objetivos do Trabalho Temático, segue uma fala do Prof. Ivan em uma entrevista que concedeu à Monitoria Científica em 2012:

“Além do desenvolvimento da capacidade interpretativa e de escrita do aluno o Trabalho Temático propõe o desenvolvimento do estudo a partir da literatura brasileira exigindo a compreensão sobre o contexto histórico e sociocultural em que a obra foi produzida. Todos esses fatores proporcionam a ampliação da visão de mundo do aluno instigando-o a refletir sobre temáticas formadoras da cultura e da sociedade brasileira, e, dessa forma, trabalharão seus argumentos a partir dos seus próprios ideais, utopias e distopias em conciliação ou negação aos dos autores. Além disso, o processo ao desenvolver reflexões sobre uma obra de arte e transformá-las em uma produção textual é um exercício para aperfeiçoar o gozo estético, o respeito às obras de fruição e o aprimoramento da compreensão justa sobre obra. Ressalto que o processo de desenvolvimento do Trabalho Temático não é vivenciado pelo aluno de maneira solitária, pois firma-se uma parceria entre o professor e o aluno”.

No segundo semestre de 2016, a obra apresentada para o desenvolvimento desse trabalho foi: "Quarto de despejo: diário de uma favelada" de Carolina Maria de Jesus.



Fonte: Site Agência Brasil

Seguem os Trabalhos Temáticos escolhidos como destaques:
Autora: Suely Lucena Canha

Autores: Alexandre Ioannis Gikas e Júlia Cristina Gutschow Sampaio

Autor: Nicolino Foschini Neto

 Autora: Ingrid Passos Santos

E para aguçar ainda mais o intento em ler os trabalhos destaques que estão muito interessantes, seguem os relatos de alguns autores falando sobre a experiência de elaborar o trabalho e a relação com a obra e a temática escolhida, que são geradoras de reflexões das mais variadas e no mínimo, intrigantes e fascinantes. Confiram!


Relato da autora Suely Lucena Canha

O livro “Quarto de despejo: diário de uma favelada” nos traz muitos elementos da história da cidade que foram se estendendo ao ponto de hoje ainda constituírem problemas gigantescos na nossa sociedade, nesse sentido é tão rica a obra que eu confesso que foi difícil escolher um tema dentre tantos importantes que poderiam ser abordados.
Sempre observei a cidade quanto sua organização do espaço e como isso caracteriza e afeta a qualidade de vida das pessoas. Considerando o quanto era importante para Carolina Maria de Jesus a questão de habitação e o local que ela e sua família ocupavam no espaço físico da cidade optei por buscar alguns estudos sobre como a precarização de moradias vinha se consolidando e tratada pelo poder público nas últimas décadas.
Tal problema social grave, enquanto era tido como irrisório por documentos oficiais na época, já estava sendo vivido, relatado e contestado em um diário por uma pessoa comum, mas que se inquietava quanto a sua condição, essa necessidade de escrita particular que observamos em Carolina é muito significativa e vale ser pensada. Assim, o desenvolvimento do trabalho aconteceu também pela análise de documento dito “não oficial” face ao “oficial” como via para elaborar as reflexões. São essas vozes silenciadas na História e que vieram a público, que nos faz ver o quanto a literatura pode ser uma forma de denúncia às injustiças, e ainda mais, na contramão de propagandas políticas seja qual for a época.
Acho muito boa a iniciativa da FESPSP em publicar as produções e ideias dos alunos postas no Trabalho Temático e dada as inúmeras possibilidades de abordagem e os mais diversos aspectos que a obra nos permite e que foram desenvolvidos pela turma do 2º semestre de 2016, ter meu trabalho publicado como destaque foi uma grande surpresa. Fico muito feliz com a oportunidade de ter minhas reflexões, sobre questões tão importantes e em pauta na nossa sociedade, compartilhadas neste espaço.
Um abraço.


Relato do autor Nicolino Foschini Neto

A realização do trabalho temático me gerou diversas experiências pessoais e acadêmicas positivas. Foram das necessidades acadêmicas que me servi para vivenciar as experiências pessoais. Eu adorava compartilhar com a minha namorada aos domingos, cada relato impactante escrito por Carolina de Jesus. Os relatos foram escritos no final da década de 1950 em forma de diário, e a obra foi intitulada de "Quarto de Despejo" pela escritora Carolina Maria de Jesus.
Exemplificando para você entender minhas surpresas, uso a passagem que Carolina afirma gostar de ler: “Todos tem um ideal. O meu é gostar de ler”. Se você leu este livro, vai entender a importância desta afirmação de Carolina. Se você não leu o "Quarto de Despejo" ainda, adiciono um segundo trecho que, de certa forma, representa o contexto de vida da escritora na favela do Canindé:
“Sentei ao sol para escrever.
A filha da Silvia, uma menina de seis anos, passava e dizia: - Está escrevendo, negra fidida!
A mãe ouvia e não repreendia. São as mães que instigam”.
Em meu trabalho temático, elucidei com evidências o desconhecimento popular sobre a literatura afro-brasileira. Fiz um breve contexto histórico social dos brasileiros afrodescendentes, abordei a Lei 10.639/2003. Apresentei como referências teóricas, diversos trabalhos publicados no Projeto Literafro. Ao final, analisei a obra “Quarto de Despejo” onde Carolina faz sua narrativa biográfica, apresentando situações que provocariam tristeza e nojo ao leitor que estivesse vivenciando-a, porém, a autora é tão genial que consegue transportar o imaginário do leitor para cenas belíssimas por meio de sua criativa linguagem poética.
Para ilustrar o imaginário de poetisa da autora, faz parte do trabalho temático uma composição de imagens artísticas pintadas em aquarela pelo artista e aluno de biblioteconomia da FESPSP, Robson Cleber A. de Lima.
Fonte: Robson Lima
 

Fonte: Robson Lima
  
Fonte: Robson Lima





















Eu agradeço imensamente pela contribuição inspiradora de todos os professores e alunos da FESPSP que apoiam o trabalho temático, e agradeço também ao artista Robson Lima que contribuiu muito com suas verdadeiras obras de arte. A todos estes, à monitoria científica e você caro leitor, meu obrigado!





Relato da autora Ingrid Passos Santos

Ler Quarto de Despejo não foi uma tarefa fácil. Levando-se em consideração a veracidade dos fatos registrados nos diários de Carolina, pensando o quanto a cidade de São Paulo se desenvolveu e enriqueceu em todos esses anos e, ainda assim, saber que existem pessoas vivendo em situações semelhantes, não só na nossa cidade, mas no mundo todo, não consegui me manter emocionalmente afastada da história. Quarto de Despejo não é ficção. Não é passado. É uma realidade mais próxima do que a gente imagina.

A cada dia tinha uma ideia diferente para o Trabalho Temático: custo de vida, aspectos sociais e "evolução" da favela do Canindé, infecção alimentar, meio ambiente e reciclagem (sugerido pelo excepcional professor Ivan Russeff), entre outros. A cada dia mais próximo da entrega, mais eu me desesperava para definir um tema.

Casualmente conheci um catador de ferro e alumínio pelas ruas do bairro onde moro. Conversamos rapidamente sobre algumas questões que, posteriormente, serviram como base quando decidi o tema do meu trabalho. Pensando sobre o tal moço e na sugestão o professor Ivan (sem querer puxar saco, já puxando hahaha), comecei a pesquisar sobre catadores autônomos de resíduos sólidos. Assim, encontrei o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), selecionei as partes do livro da Carolina que eu poderia usar, analisei o referencial teórico, que me deu forte embasamento na análise sobre a relação da gestão pública dos resíduos sólidos com as condições de trabalho dos catadores e, desta forma, busquei fazer um paralelo dos relatos da Carolina com a realidade atual.

Fico muito contente ao saber que meu trabalho foi considerado um dos destaques, e espero que seu conteúdo possa apresentar como a gestão pública dos resíduos sólidos funciona, e provocar a reflexão de que todo trabalho honesto é digno e deve ser respeitado. Que tenhamos sempre compaixão e empatia para não julgar o próximo pelas aparências.


A MC agradece imensamente aos autores que tão generosamente compartilharam suas experiências conosco e parabeniza a todos os destaques pelo excelente trabalho. De forma particular, um agradecimento especial à Suely Canha que nos enviou seu relato mesmo não estando mais no corpo discente da FaBCI.

E ao querido Prof. Ivan Russeff e a todos os envolvidos com o Trabalho Temático (docentes e discentes em geral), nosso total reconhecimento e agradecimento por desenvolver este projeto desde 2009, que é tão importante e edificante dentro de nossa comunidade. E aguardem os próximos trabalhos!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário