quinta-feira, outubro 17, 2013

Políticas públicas para bibliotecas: Elisa Machado (SNBP)



Elisa Machado

 Políticas públicas para bibliotecas foi o grande tema da terceira noite do Seminário, com a professora Elisa Machado (UNIRIO), no auditório da FESPSP. A coordenadora geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas conversou com alunos, ex-alunos, professores e profissionais sobre as ações do governo para o incremento e maior visibilidade da área. Veja os principais destaques:










Elisa Machado apresentou a formação do contexto histórico originário do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, o qual coordena, destacando o momento em que foi inserido na Fundação Biblioteca Nacional. “Foi um colapso por que a Fundação não tinha estrutura para nos abrigar”, disparou logo no começo de sua fala. Em mudança para Brasília, mais próximo das decisões governamentais, o SNBP deve consolidar-se como instituição participante ativa de planos de incentivo à leitura e organização e distribuição de bibliotecas pelo país afora, dentro das política públicas de cultura do governo federal.  País, uma conquista que Elisa Machado destaca em sua gestão.

A dificuldade de se estabelecer leis relevantes para as políticas de bibliotecas é visível. Elisa
mencionou que no Congresso há até boa vontade com as bibliotecas, porém um desconhecimento por
parte dos legisladores sobre o tema. Alertou que o senso comum muitas vezes substitui o conceito, mesmo entre os profissionais de Biblioteconomia. Exemplificou com um projeto de lei que apresenta uma proposta de definição de biblioteca pública muito abrangente: “biblioteca pública é toda biblioteca: escolar, universitária, especializada, qualquer biblioteca é uma biblioteca pública.” Elisa se posiciona contrária a essa prática: “A gente não pode deixar que isso aconteça. No momento em que biblioteca pública é qualquer coisa, ou é tudo, nada mais vai ser biblioteca pública.” Estudiosa e defensora de bibliotecas comunitárias também, Elisa sabe muito bem como a tipologia da unidade de informação resvala em sua função diferencial: “A gente não pode dar margem para que os governos digam que não precisamos de bibliotecas públicas por que já temos a comunidade fazendo em uma biblioteca comunitária comunitária um trabalho muito bonito. Não é isso. A gente não pode repassar para a sociedade um dever que é do Estado”, enfatiza.

Serviços de qualidade

“A biblioteca pública tem que ser um serviço público de qualidade, assim como hospital de qualidade, posto de saúde de qualidade. Só assim os governos terão interesse para investir nas bibliotecas públicas.” A afirmação de Elisa perpassa por alocar mais bibliotecários trabalhando em todas as bibliotecas públicas. Apontou que os planos de políticas para a cultura e educação têm um foco bastante claro no objeto livro e no seu uso, por meio da mediação, mas ignoram o espaço onde estão inseridos, que é a biblioteca, e, por conseguinte, o profissional responsável por esse espaço,  bibliotecário.


SNBP

O SNBP trabalha com os 26 sistemas estaduais e o Distrito Federal, e cada um desses sistemas estaduais fomenta a criação de sistemas municipais se os municípios forem de porte para abrigar bibliotecas; e quando são municípios menores, estimulam a distribuição de redes de bibliotecas, como na cidade de Parati em que a biblioteca pública trabalha com as bibliotecas escolares e comunitárias para, assim juntarem forças. Entre suas ações, está a construção de políticas públicas para a área, ampliar os investimentos em bibliotecas e transformá-las em unidades orçamentárias. “Nenhum bibliotecário vai ter voz enquanto ele não tiver o dinheiro para comprar o livro, para comprar o lápis,” afirmou Elisa.

Entre as questões colocadas pelo público, discutiu-se o papel do professor como mediador da leitura e o do bibliotecário,  políticas como os planos municipais do livro e da leitura e o repasse de recursos para as bibliotecas públicas.

Elisa Machado graduou-se pela FESPSP em 1980, quando o prédio ainda era na Lapa. Foi professora da instituição de 1995 a 2006 e hoje é professora de catalogação do Departamento de Estudos e Processos Biblioteconômicos (DEPB), do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCH), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Coordenadora Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) da Fundação Biblioteca Nacional (FBN). 




Para receber o áudio completo da palestra, envie um email para monitorcientificofabci@fespsp.org.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário