Pular para o conteúdo principal

Viver e respirar bibliotecas: Soraia Magalhães



Soraia Magalhães

 Soraia Magalhães é uma incansável caçadora de bibliotecas, atenta às necessidades tanto do usuário quanto do profissional bibliotecário, com um olhar diferente que poucos têm. Ganhou projeção nacional e internacional ao liderar o movimento “Abre Biblioteca”, que pediu a abertura da Biblioteca Pública de Manaus, em junho de 2012. A conquista se deu em janeiro de 2013, e Soraia mostrou para toda a classe bibliotecária que lutar pela biblioteca pública vale muito a pena. 





Soraia em ação de lançamento de seu livro
Cheia de energia e simpatia, Soraia anda por aí espalhando tudo de bom que a biblioteca tem, e entre uma viagem e outra pelos rincões do país, também arranjou um tempinho para escrever seu primeiro livro infantil, o delicado “Lia sempre lia”. Com um trabalho de repercussão nacional e posições determinadas em defesa de todas as bibliotecas, seu blog reflete muito bem a valiosa contribuição de Soraia para a Biblioteconomia contemporânea, em várias facetas da área. Soraia agora está trabalhando em Brasília, ajudando a organizar e implantar bibliotecas em áreas rurais do país.


Por ocasião do Bibliocamp 2013, Soraia gentilmente concedeu uma entrevista para a MC que começou com um inspirador “Eu adoro biblioteca!”:


O movimento Abre Biblioteca

Soraia durante o Abre Biblioteca
Ouvir o relato da Soraia sobre como se deu todo o movimento Abre Biblioteca, que conseguiu mobilizar a população de Manaus para que a biblioteca pública da cidade fosse reaberta no começo deste ano, é uma lição de vida. O seu entusiasmo e fé na validade de sua causa moveram a cidade de Manaus em prol da recuperação de um espaço único de cultura e educação. Mas, Soraia já milita há muitos anos, e com um blog conseguiu chamar a atenção para a importância dos mais variados tipos de unidades de informação para a coletividade: “O Abre Biblitoteca é consequência de um trabalho que eu venho fazendo, o blog “Caçadores de Bibliotecas”, uma paixão. E eu consegui fazer um hobby, fazer um coisa gostosa, que é visitar muitos colegas e divulgar isso.”

O começo do blog

“Na época eu estava dando aula para os estudantes de Biblioteconomia na UFAM (Universidade Federal do Amazonas) na disciplina de “Planejamento Bibliotecário” e eu descobri que os alunos não visitavam biblioteca. Como você vai planejar sem conhecer? E eu sempre visitei biblioteca e tinha muitas fotos. Levei para a sala de aula para mostrar e eles ficaram bobos de ver, por que eu viajo muito, gosto muito de viajar. E pedi para eles visitarem 10 bibliotecas ou 10 unidades de informação, e fotografar. No início, há resistência, mas depois adoraram, aquela experiência foi muito rica para eles, pois eles tinham que escolher dali uma unidade de informação e pensar de que forma planejá-la, dentro dos canais teóricos. E foi muito bacana, foi muito rico. A partir disso, a gente fez três visitas às bibliotecas de Manaus e eu comecei a postar e aí, o blog foi embora! E o blog me dá muito prazer, adoro fazer o blog!”

A garra e o entusiasmo dos bibliotecários manauenses

Soraia sempre tem gosto em conversar com seus colegas
“Eu vejo que tem uma turma muito jovem, surgindo com muito gás, com muita vontade, com paixão pela Biblioteconomia, e com uma proposta muito inovadora. A Katty Anne é um exemplo (eu fui professora dela na disciplina “Bibliotecas públicas e escolares”) e por isso eu fico tão orgulhosa de vê-la fazendo um trabalho tão lindo em biblioteca escolar.” Katty, além de apresentar seu brilhante trabalho no Biliocamp 2013, também visitou a FESPSP, a convite da professora Andreia
Gonçalves da Silva, e conversou com os alunos do quarto semestre sobre o perfil do bibliotecário escolar e como é essencial que o profissional tenha um plano de ações que movimentem os alunos e tragam mais visibilidade para a biblioteca. Com o mesmo entusiasmo de Soraia, a jovem e talentosa bibliotecária mostrou como trouxe vida a uma biblioteca de escola pública da periferia de Manaus e como está incentivando outras 53 bibliotecas escolares, sob sua coordenação na Secretaria de Educação, a se engajarem em ações promotoras de transformações na vida dos alunos, professores e comunidade em geral.
Contando com profissionais tão inspiradores como Soraia e Katty, as bibliotecas brasileiras têm um futuro muito promissor. Vamos nos engajar com estas destemidas bibliotecárias?



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projetos PIBIC 2021!

Aos curiosos sobre os mais novos projetos do PIBIC 2021, segue notas das duas alunas selecionadas para essa nova edição. " Não é de hoje que a cidade de São Paulo tem histórias de atletas negros, pobres, em sua maioria, periféricos, que  foram grandes astros em suas modalidades e suas histórias comprovam que, por questões raciais e sociais, tiveram que mostrar muito mais talento que a grande maioria dos atletas brancos para seguir sendo representantes de entidades que, em geral e historicamente, não são tão amistosas com a raça negra - por mais geniais que sejam as conquistas.  O que a pesquisa "Do pódio à segregação" pretende é investigar se, entre atletas paulistanos, grandes vencedores de Olimpíadas e Campeonatos Mundiais, a importância de uma conquista de pódio ou medalha muda com a cor da pele; porque atletas negros não são a referência quando o assunto é tanto a prática esportiva como o o esporte de alto rendimento.  O trabalho também quer responder se atualmente é

PEC Biblioteca Humana

Incentivar práticas de respeito às diferenças e à diversidade com empatia através do compartilhamento da história de vida dos estudantes é o principal eixo do Projeto Biblioteca Humana - parte do Programa Biblioteca Educação desenvolvido desde 2014. O projeto é desenvolvido a partir da contação de histórias de vidas dos estudantes, e ao final é realizada uma atividade onde utiliza-se expressões artísticas - como teatro,poesia, dança - abordando temáticas como o racismo, a xenofobia, a LGBTfobia, o capacitismo e também padrões estéticos sociais. Pensando nisso, o curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação, em conjunto com o Programa Biblioteca Educação - PROBE, realizará, no próximo dia 10, uma nova edição do Programa de Enriquecimento Curricular (PEC) #emcasa sobre “Biblioteca Humana”, com a presença da bibliotecária e especialista em Gestão da Informação Digital, Aruana Marcondes. Com mediação de Valéria Valls, coordenadora do curso, o encontro ocorre a partir das 17h30.⠀⠀

Keep calm que as férias estão chegando...

É com muita alegria e saudade no coração que informo que este é nosso último boletim de 2015... sabe o que isso significa? As férias chegaram!!! Mas calma ano que vem tem mais! Em 2016 teremos um novo Monitor, que com certeza virá cheio de ideias legais e projetos maravilhosos. Esta pessoa ainda está sendo escolhida, e logo mais, haverá divulgação, por isso não deixe de acompanhar a Monitoria Científica nas redes sociais. Esse foi um ano bem puxado, cheio de conteúdo e de festividades né... Teve CBBD, aniversário de 75 da Biblioteconomia na FESPSP, Jubileu de Ouro da regulamentação da profissão de Bibliotecário... Mas ano que vem, também será um ano bem movimentado, então é bom aproveitar as férias e recarregar as energias. Aos colegas que se formaram: Parabéns! Sucesso em suas escolhas! Aos colegas que ainda estão por aqui: Força e Foco! Estamos quase lá... Não posso deixar de agradecer aos meus queridos voluntários, o sucesso do projeto também depende da participação