sexta-feira, outubro 04, 2013

Professora Adriana Souza defende mestrado com tema inédito em CI: coaching


Você já pensou em fazer um mestrado, mas talvez um MBA seja mais vantajoso. Você tem alguns talentos que precisam ser mais desenvolvidos. Uma viagem ao exterior pode alavancar sua carreira. Como tomar decisões e executar planejamentos como estes? Como potencializar a concretização de suas metas?
Essas e outras perguntas podem ser decisivas para uma melhoria da experiência profissional em busca de novas oportunidades e podem ser respondidas em um processo de coaching. A professora Adriana Maria de Souza defendeu esta semana seu mestrado na área de coaching, apresentando sua dissertação: "O coaching na atuação do Profissional da Informação", onde aplica o conceito em uma abordagem inédita no Brasil. A MC foi conhecer um pouco desta pesquisa da professora Adriana, leia a seguir:

A escolha de um tema para pesquisa pode surgir de uma experiência profissional que aponte possibilidades de investigação. A professora Adriana passou por este processo na definição do tema de coaching para seu mestrado: “A escolha pelo tema surgiu no ambiente de trabalho no qual atuei durante parte da minha trajetória profissional. Realizei um curso de formação para coaches ofertado pela empresa que me possibilitou a realização do coaching para dois funcionários em outros países vinculados à mesma instituição, mas não relacionados às áreas de Biblioteconomia e Ciência da Informação, sendo gestores de projetos em áreas distintas e, ao participar do processo, deparei-me com a possibilidade de estender o aprendizado e desenvolvimento à minha área de formação e atuação profissional, iniciando a caminhada acadêmico-científica, no qual me propiciou grande satisfação e descobertas incríveis.”

Muito conhecido entre altos executivos de empresas de grande porte, o coaching é uma poderosa
Dissertação aprovadíssima!
ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional. A professora Adriana percebeu que este instrumento poderia ser aplicado também às carreiras do profissional de informação, em um recorte inédito: “O objeto de estudo da dissertação de mestrado é o coaching na perspectiva de aproximação desta metodologia à atuação do Profissional da Informação, como um método eficaz de planejamento e aperfeiçoamento pessoal e profissional que este profissional pode trilhar em suas práticas de trabalho. No Brasil, o tema é ainda incipiente, pouco explorado nos ambientes e serviços de informação, mas amplamente difundido no contexto corporativo, na gestão e liderança dentro das organizações e, até mesmo, no cotidiano da vida das pessoas. Para a viabilidade da pesquisa foi necessário o levantamento bibliográfico em outros países, especificamente nos Estados Unidos, onde foi possível encontrar fontes de informação pertinentes e fidedignas sobre o tema, colaborando assim para a devida continuidade da pesquisa. O maior desafio foi integrar o coaching à atuação do profissional da informação em três grandes áreas: carreira, liderança e serviço de referência e informação. Entretanto, a partir da revisão de literatura realizada foi possível descobrir profissionais da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação que atuam e utilizam o coaching em suas atividades de trabalho.”


Professores Waldomiro, Modesto e Dutra com a Professora Adriana
E se a tensão é inevitável na hora da defesa, a satisfação de finalizar um grande projeto de vida, como um mestrado, é inestimável. Uma banca com ícones da área, representados pelos professores Waldomiro Vergueiro e Fernando Modesto da ECA-USP, e o professor da FEA-USP, Joel Souza Dutra, deixou a conquista da professora Adriana mais gratificante ainda: “A defesa foi tranquila e bastante significativa pra mim, esperava muitos questionamentos, já que tenho a autocrítica bem aguçada. Os apontamentos feitos pela banca foram uma grande surpresa pra mim: todos de encorajamento para a continuidade da pesquisa, produção de artigos científicos e publicação de um livro. As questões levantadas foram pertinentes e apropriadas dentro do teor da pesquisa, sem dificuldades de compreensão, embora eu estivesse um pouco tensa pela ocasião, já que não é todo dia que se defende uma dissertação de mestrado, não é mesmo? Ainda mais quando o assunto não é conhecido em seu campo de trabalho e formação, mas sobrevivi e passaria por tudo novamente, é um momento muito especial e único na vida de qualquer pessoa que tenha interesse em trilhar o caminho acadêmico.”

Algumas dicas da professora Adriana para quem deseja fazer um mestrado acadêmico:

  • Ter conhecimento comprovado em uma segunda língua.  
  • Ter interesse pela carreira acadêmica.
  • Ter disponibilidade para estudar, pesquisar e escrever, além de dedicação constante e disciplina.

 No dia 16 de outubro, às 14h, a professora Adriana Souza vai ministrar um mini-curso sobre coaching durante o Seminário de Pesquisa da FESPSP, com inscrições gratuitas aqui.

Para quem se interessar pela área, a FESPSP oferece, em parceria com a Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC), um MBA em coaching.

Saiba mais:




4 comentários:

  1. Parabéns professora. Ja te falei e repito você é um exemplo, pessoa que conquista de degrau em degrau o objetivo almejado. Te aguardo para parabenizar também no doutorado. Bjs Marina

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Professora Adriana e Monitoria Científica.

    ResponderExcluir
  3. Ótima entrevista.
    Mas é um grande desafio implantar os conceitos de Coaching por aqui. É preciso romper com a barreira do individualismo que ainda está presente na área. Também é preciso tornar esse processo nacional, fazendo com que a expertise existentes no grandes centros (ainda grande nas capitais, notadamente no Sul e Sudeste), e fazendo com que os processos de coaching utilizem das tecnologias da informação para que o profissional dos grotões, distante das capitais, tenham essa possibilidade de desenvolvimento profissional.
    Que o tema cresça e procrie por toda a área.
    Abraços!
    William Okubo

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Marina, Kelly e William por seus comentários, e que essa pesquisa dê muitos bons frutos mesmo! Continuem participando do nosso blog!

    ResponderExcluir