sexta-feira, outubro 11, 2013

Viver e respirar bibliotecas: Soraia Magalhães



Soraia Magalhães

 Soraia Magalhães é uma incansável caçadora de bibliotecas, atenta às necessidades tanto do usuário quanto do profissional bibliotecário, com um olhar diferente que poucos têm. Ganhou projeção nacional e internacional ao liderar o movimento “Abre Biblioteca”, que pediu a abertura da Biblioteca Pública de Manaus, em junho de 2012. A conquista se deu em janeiro de 2013, e Soraia mostrou para toda a classe bibliotecária que lutar pela biblioteca pública vale muito a pena. 





Soraia em ação de lançamento de seu livro
Cheia de energia e simpatia, Soraia anda por aí espalhando tudo de bom que a biblioteca tem, e entre uma viagem e outra pelos rincões do país, também arranjou um tempinho para escrever seu primeiro livro infantil, o delicado “Lia sempre lia”. Com um trabalho de repercussão nacional e posições determinadas em defesa de todas as bibliotecas, seu blog reflete muito bem a valiosa contribuição de Soraia para a Biblioteconomia contemporânea, em várias facetas da área. Soraia agora está trabalhando em Brasília, ajudando a organizar e implantar bibliotecas em áreas rurais do país.


Por ocasião do Bibliocamp 2013, Soraia gentilmente concedeu uma entrevista para a MC que começou com um inspirador “Eu adoro biblioteca!”:


O movimento Abre Biblioteca

Soraia durante o Abre Biblioteca
Ouvir o relato da Soraia sobre como se deu todo o movimento Abre Biblioteca, que conseguiu mobilizar a população de Manaus para que a biblioteca pública da cidade fosse reaberta no começo deste ano, é uma lição de vida. O seu entusiasmo e fé na validade de sua causa moveram a cidade de Manaus em prol da recuperação de um espaço único de cultura e educação. Mas, Soraia já milita há muitos anos, e com um blog conseguiu chamar a atenção para a importância dos mais variados tipos de unidades de informação para a coletividade: “O Abre Biblitoteca é consequência de um trabalho que eu venho fazendo, o blog “Caçadores de Bibliotecas”, uma paixão. E eu consegui fazer um hobby, fazer um coisa gostosa, que é visitar muitos colegas e divulgar isso.”

O começo do blog

“Na época eu estava dando aula para os estudantes de Biblioteconomia na UFAM (Universidade Federal do Amazonas) na disciplina de “Planejamento Bibliotecário” e eu descobri que os alunos não visitavam biblioteca. Como você vai planejar sem conhecer? E eu sempre visitei biblioteca e tinha muitas fotos. Levei para a sala de aula para mostrar e eles ficaram bobos de ver, por que eu viajo muito, gosto muito de viajar. E pedi para eles visitarem 10 bibliotecas ou 10 unidades de informação, e fotografar. No início, há resistência, mas depois adoraram, aquela experiência foi muito rica para eles, pois eles tinham que escolher dali uma unidade de informação e pensar de que forma planejá-la, dentro dos canais teóricos. E foi muito bacana, foi muito rico. A partir disso, a gente fez três visitas às bibliotecas de Manaus e eu comecei a postar e aí, o blog foi embora! E o blog me dá muito prazer, adoro fazer o blog!”

A garra e o entusiasmo dos bibliotecários manauenses

Soraia sempre tem gosto em conversar com seus colegas
“Eu vejo que tem uma turma muito jovem, surgindo com muito gás, com muita vontade, com paixão pela Biblioteconomia, e com uma proposta muito inovadora. A Katty Anne é um exemplo (eu fui professora dela na disciplina “Bibliotecas públicas e escolares”) e por isso eu fico tão orgulhosa de vê-la fazendo um trabalho tão lindo em biblioteca escolar.” Katty, além de apresentar seu brilhante trabalho no Biliocamp 2013, também visitou a FESPSP, a convite da professora Andreia
Gonçalves da Silva, e conversou com os alunos do quarto semestre sobre o perfil do bibliotecário escolar e como é essencial que o profissional tenha um plano de ações que movimentem os alunos e tragam mais visibilidade para a biblioteca. Com o mesmo entusiasmo de Soraia, a jovem e talentosa bibliotecária mostrou como trouxe vida a uma biblioteca de escola pública da periferia de Manaus e como está incentivando outras 53 bibliotecas escolares, sob sua coordenação na Secretaria de Educação, a se engajarem em ações promotoras de transformações na vida dos alunos, professores e comunidade em geral.
Contando com profissionais tão inspiradores como Soraia e Katty, as bibliotecas brasileiras têm um futuro muito promissor. Vamos nos engajar com estas destemidas bibliotecárias?



Nenhum comentário:

Postar um comentário